31 de janeiro de 2008

Grupo de torcedores planeja compra do Liverpool

Intenção é agregar grande número de associados, bom aporte financeiro e investir no clube londrino


Nos próximos anos, o Liverpool pode passar a ser gerido pelos seus próprios torcedores. Isto porque um grupo de aficionados pelo tradicional time inglês articula unir forças – e dinheiro, claro –, para adquirir o clube do coração.

Em um projeto que deverá ser anunciado oficialmente nesta quinta-feira, um grupo denominado “Share Liverpool FC” tem o objetivo de reunir 100.000 sócios e acumular 500 milhões de libras, algo em torno de 2 bilhões de reais, para comprar o clube e construir um estádio.

Agora é a hora de oferecer uma solução diferente para as preocupações crescentes que os fãs de futebol têm sobre o modelo de gestão em nossos principais clubes de futebol. Milhares de fãs do Liverpool já demonstraram a insatisfação com a desorganização nos negócios”, revela Rogan Taylor, diretor do curso de “Football Industry”, na Universidade de Liverpool, e uma das cabeças da empreitada.

Baseado em exemplos de grandes clubes espanhóis e alemães, que têm um grande quadro associativo de simpatizantes, a idéia é evitar que a instituição londrina fique nas mãos de um magnata, por exemplo, sem nenhum vínculo com a história da mesma.

Dívidas absurdas sempre surgem nos clubes recém-fundados, e os fãs sabem que, no fim, serão eles que vão pagar o pato com o aumento no preço dos ingressos e em outros segmentos. Sendo assim, porque não comprar o próprio clube?”, questiona Taylor.

Fonte: Cidade do Futebol

Como foi recentemente noticiado em nosso blog (leia a postagem), o Liverpool encontra-se nas mãos de dois empresários estadunidenses que colocaram o clube em uma grave crise financeira, abrindo a possibilidade de o clube inglês ser vendido para sanar as dívidas. Esta iniciativa da torcida do Liverpool trata-se, portanto, de uma atitude admirável e que deve servir como exemplo aos torcedores de vários times de futebol (inclusive aos do nosso querido Ferroviário), que vêem seus clubes caírem em desgraças em decorrência da atuação de empresários na gestão.

Deputado pretende criar obrigatoriedade de exibição da bandeira nacional

Projeto de lei de Luiz Carlos Hauly (PSDB-PR) pretende instituir prática em todos os eventos patrocinados pelo Estado

O projeto de lei 2.120/07, de autoria do deputado Luiz Carlos Hauly, pode causar uma mudança procedimental nas partidas de futebol. A idéia, que vai ser analisada em caráter conclusivo pela comissão de constituição de justiça e cidadania, é instituir a obrigatoriedade de exibição da bandeira nacional em eventos patrocinados pelo Estado.

Caso seja aprovado, o projeto de lei abrangerá todos os eventos desportivos, culturais ou audiovisuais que tiverem incentivo do governo. Isso inclui os jogos de todas as equipes que aderirem à Timemania, loteria federal criada para sanar as dívidas dos clubes de futebol com a Receita.

Dessa forma, o símbolo máximo da nossa República estará presente em todos os eventos”, projetou Hauly em entrevista à Agência Câmara.

A iniciativa do deputado tucano remete à lei instituída em São Paulo, que criou a obrigatoriedade de veiculação do hino nacional antes de todos os eventos esportivos. A prática foi seguida por outros estados do Brasil, mas ainda não se tornou nacional.

Fonte: Cidade do Futebol

É muita besteira! Esse é um exemplo de alguns dos "ocupadíssimos" deputados existentes no Brasil...

30 de janeiro de 2008

Causa política pune jogador do Egito

Atacante Mohamed Abou Treika mostra camisa em prol da Palestina e deve receber sanções da Confederação Africana de Futebol

O atacante egípcio Mohamed Abou Treika pode ser punido pela Confederação Africana de Futebol em virtude da comemoração de um gol da seleção de seu país sobre o Sudão, na vitória por 3 a 0 pela Copa Africana de Nações.

Treika exibiu uma camisa com a inscrição “simpatia por Gaza”, em uma clara demonstração de solidariedade com os milhares de palestinos que vivem na região controlada pelo Estado de Israel.

Segundo o diário espanhol 20 minutos, a entidade que rege o futebol naquele continente não gostou da atitude e decidiu que vai punir o jogador sob a acusação de “expressar uma mensagem política no meio de uma competição oficial”.

Os organizadores da competição sancionarão aqueles jogadores que levantem a camisa para mostrar mensagem ou publicidade. Os organizadores da competição ou a Fifa sancionarão a equipe do jogador, cujo equipamento básico obrigatório contenha mensagens políticas, religiosas ou pessoais”, diz emenda às regras do jogo impostas pelo órgão máximo do esporte.

Aos 29 anos, 128 jogos e 81 gols pelo Egito, Treika, além do teor político, é famoso por vibrar com seus gols abrindo um largo sorriso, o que garante a ele o apelido de “assassino sorridente”.

Fonte: Cidade do Futebol

Que absurdo! Cadê a liberdade de expressão?! Se o citado jogador tivesse em sua camisa escrito alguma manifestação de fé cristã ("Só Jesus salva", por exemplo) será que ele seria punido? Acho difícil...

29 de janeiro de 2008

Trabalho integrado é objetivo de sindicatos de atletas de futebol

Representantes de entidades regionais buscam aumentar a força e os campos de atuação da Fenapaf

De tempos em tempos os noticiários esportivos abrem espaços para os sindicatos de atletas profissionais espalhados pelo Brasil. Recentemente, em São Paulo, o Sapesp – Sindicato dos Atletas Profissionais do Estado de São Paulo – conseguiu junto à federação local a chamada “parada para hidratação” durante os jogos do Campeonato Paulista.
Inicialmente a parada só aconteceria nas partidas disputadas às 11h, porém o sindicato conseguiu ampliar essa parada para os demais jogos, sempre que o árbitro entender que é necessário. Porém, essa é uma conquista isolada para os atletas no meio de muitas ações dos sindicatos ainda sem resposta das autoridades.
Para garantir que as “lutas” dos sindicatos regionais não ficarão mais tão isoladas e particulares foi criada em 2001 a Federação Nacional dos Atletas Profissionais de Futebol – Fenapaf, que na época reunia cinco sindicatos.
Hoje já somos 17 sindicatos espalhados por todo o Brasil. Graças a essa proximidade maior existente entre essas entidades hoje, por exemplo, eu não preciso sair de São Paulo para socorrer um atleta no Ceará. Mas ainda há muito trabalho para ser feito para caminharmos no sentido de uma integração completa”, afirma o presidente da Sapesp e vice-presidente da Fenapf, Rinaldo Martorelli.
A Fenapaf tem sede no Rio de Janeiro e hoje é presidida por Alfredo Sampaio (atualmente licenciado), presidente do Sindicato dos Atletas Profissionais do Estado do Rio de Janeiro – Saferj.
Todos os anos realizamos pelo menos uma reunião com representantes de todos os sindicatos. Nosso objetivo é realmente integrar as ações na medida do possível. É óbvio que cada estado possui uma particularidade e uma realidade, mas essa aproximação é fundamental. Também queremos demonstrar para estados importantes a necessidade de se criar sindicatos locais. O Rio Grande do Norte e o Espírito Santo devem ter seu próprio sindicato em breve, muito por conta de nossas ações e persistência”, conta Martorelli.
Segundo o presidente em exercício da Fenapaf, existe um temor por parte dos sindicatos de que uma de suas principais conquistas, considerada por Martorelli, possa sofrer um retrocesso.

Eu sempre vou dizer que uma de nossas principais conquistas [Sapesp] foi ajudar a terminar com a Lei do Passe, que na minha época de jogador escravizava os atletas. Hoje existe um discurso mentiroso, de que os jogadores estão nas mãos de empresários e o Governo Federal, despreparado, dá embasamento para esse tipo de ‘choradeira’. Estamos trabalhando a cada minuto pela liberdade do atleta e com todos trabalhando juntos, ficaremos fortalecidos”, analisa Martorelli.

Rubem Dario
Cidade do Futebol

Goleiro Higuita: "Encanta-me o socialismo"

O goleiro colombiano René Higuita, que "trabalha todos os dias" para voltar à seleção de seu país, disse que deseja ser senador (...).

"Não me considero um gênio, me consideram gênio", afirmou o jogador de 41 anos ao jornal "Clarín".

Higuita, que acaba de acertar com o Deportivo La Coruña Rionegro, da Colômbia, negou estar interessado em ser presidente de seu país e afirmou que "muitas correntes políticas" não o deixariam se candidatar a este cargo.

Porém, admitiu que gostaria de "chegar ao Senado" e se pronunciou a favor de uma "troca humanitária" para libertar os 750 prisioneiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). (...)

Embora tenha dito que sua praia "é o futebol" e que não pensa em pendurar as chuteiras, Huiguita expressou suas propostas para conseguir a paz com as Farc e se declarou "admirador" do presidente venezuelano, Hugo Chávez.

"Encanta-me o socialismo. Acompanho Chávez em 'Alô presidente'. Sou admirador dele e conhecê-lo é um dos meus sonhos. Tomara que possa encontrá-lo algum dia em seu programa", afirmou.

O goleiro colombiano disse que, se tivesse a oportunidade, "iniciaria um diálogo" com as Farc e pediria a "um comitê europeu internacional" que tire "o status de terrorista" do grupo.

"Seria necessário que as duas partes deixassem algumas coisas para que prevaleça a paz na Colômbia. Agora parece uma briga de crianças. Ninguém quer ceder", concluiu.

Fonte: Agência EFE

27 de janeiro de 2008

Ambulantes protestam por cessão de bares no Ceará

Empresa que pagou para administrar os bares do Castelão resolveu restringir a ação dos ambulantes no estádio

A adoção de um novo modelo de administração dos bares do Castelão tem causado grande polêmica no Ceará. Neste domingo, dia em que Fortaleza e Ceará farão um duelo válido pelo Estadual de 2008, vendedores ambulantes prometem protestar contra as mudanças administrativas no estádio.

Com o argumento de que isso serviria para melhorar o serviço, a empresa que ganhou a licitação para explorar os bares do Castelão resolveu restringir o trabalho de vendedores ambulantes no interior do estádio. Além disso, brecou a comercialização de produtos no entorno sem sua autorização.

Segundo João Paulo Sombra, representante da empresa, a medida foi tomada para garantir a qualidade do serviço. “Não queremos deixar ninguém desempregado. Queremos é fornecer ao torcedor um atendimento de qualidade e com produtos saudáveis”, disse ele ao Diário do Nordeste.

Os vendedores ambulantes, porém, não receberam bem a decisão da empresa. Neste sábado (26/01), em reunião realizada em Fortaleza, eles definiram que farão greve durante o clássico de domingo. Além disso, cogitaram o lançamento de um protesto contra o modelo de administração dos bares do estádio.

Fonte: Cidade do Futebol

Torcedores do River Plate são processados por assassinato

Um juiz argentino confirmou hoje o processo de quatro torcedores violentos do River Plate, entre eles dois considerados líderes de uma torcida organizada, em uma investigação sobre um assassinato que aconteceu em agosto de 2007.

Na mesma sentença, o juiz Luis Rodríguez determinou a libertação de outros cinco detidos, informaram fontes judiciais.

Porém, foi confirmado o processo dos irmãos Alan e William Schlenker (foto a cima), considerados líderes de uma das facções que disputam o poder na torcida organizada do River.

No dia 15 de janeiro, um tribunal de apelações tinha deixado sem efeito os processos dos detidos neste caso, por considerar que Rodríguez tinha prejudicado o direito de defesa dos acusados ao realizar uma deficiente descrição dos fatos incriminativos ao inquiri-los.

Por causa deste episódio, o juiz teve que tomar novamente o depoimento dos acusados e tomou hoje uma nova decisão.

Pelo assassinato do torcedor Gonzalo Acro ainda estão foragidos outros quatro membros da torcida.

Acro, de 29 anos, morreu ao ser atingido por várias balas após vários confrontos sangrentos nos últimos meses entre os dois grupos que disputam o poder da torcida organizada do River Plate.

Fonte: Agência EFE

26 de janeiro de 2008

Corinthians anuncia plano de responsabilidade social

Clube paulista realizará ações com instituição comandada por ex-atletas profissionais


Na última quinta-feira (24/01), o Corinthians apresentou de maneira oficial o “Programa de Ações de Responsabilidade Social”, além de um convênio entre o clube e a Cooperativa de Trabalho de Esportistas Práticos, dirigida pelos ex-jogadores Basílio (foto à direita), Badeco, Leivinha, Coutinho, dentre outros.

Ao lado da vice-presidente social Marlene Matheus, de dirigentes da instituição e de alguns atletas que tiveram passagem de destaque pelo Parque São Jorge, o presidente corintiano Andrés Sanhez anunciará algumas das iniciativas do projeto.

O “Projeto Nação Solidária”, que busca integrar ex-jogadores nas atividades sociais do clube, como a Rede de Escolas Chute Inicial, quer contar com os “Craques de Sempre” da cooperativa.

Liderada por Basílio e Badeco, além de uma equipe que conta com Edu Bala, Ataliba, Adãozinho e Geraldão, a ação contemplará alunos carentes por intermédio de bolsas de estudo na escola montada na sede social alvinegra, na Zona Leste.

Fonte: Cidade do Futebol

Evo Morales diz que Fifa se acha "maior que a ONU"

O presidente da Bolívia, Evo Morales, disse hoje que a Fifa se acha "maior que as Nações Unidas" e voltou a condenar o veto da entidade à prática do futebol em locais de altitude muito elevada.

Numa entrevista coletiva concedida durante sua visita à Argentina, o governante boliviano se disse "confiante" e se "certo de que, com o apoio da América do Sul, não haverá veto ao futebol em La Paz".

Recentemente, a Fifa determinou que não serão disputados jogos internacionais nos estádios localizados a mais de 3.000 metros acima do nível do mar, a não ser quando as equipes dispores de um período de aclimatação de pelo menos duas semanas.

Nesta sexta-feira, Morales disse que a Fifa se acha "maior que as Nações Unidas" e que "com este tipo de veto não consegue dividir os países".

"Mas estou convencido de que as federações da América do Sul e seus dirigentes, como (o presidente da Confederação Sul-Americana de Futebol, o paraguaio Nicolás) Leoz e (o vice-presidente da Fifa, o argentino Julio) Grondona, nunca irão nos abandonar, porque não se pode excluir os países que vivem em grandes altitudes", acrescentou.

O presidente da Bolívia também destacou "as conclusões de uma grande reunião da CSF realizada em Santiago do Chile em 22 deste mês, quando a resolução da Fifa foi rejeitada por unanimidade".

"Se vivemos em uma altitude elevada temos o direito de jogar em locais de altitude elevada. Temos muitos argentinos e jogadores de outros países que jogam em várias equipes da liga de futebol boliviana e nunca se queixaram da altura. É importante entender isto", frisou.

Segundo Morales, o assunto está "nas mãos" do presidente da Fifa, o suíço Joseph Blatter, que "se comprometeu" com o próprio presidente da Bolívia "a acabar com esta injustiça".

"Tenho muita confiança e sinto-me orgulhoso de nossos dirigentes da América do Sul. O futebol nos une. Não só recebi apoio dos dirigentes do futebol, mas também dos Governos. Tive que falar com muitos presidentes para evitar este veto", declarou o governante.

Morales fez estas afirmações depois de se reunir hoje em Buenos Aires com a presidente da Argentina, Cristina Fernández de Kirchner.

Fonte: Agência EFE

25 de janeiro de 2008

Outro clube polonês rebaixado para segunda divisão por corrupção

Um novo clube da elite, o Zaglebie Lubin, denunciado por corrupção na temporada 2004-2005 do Campeonato da Polônia, foi rebaixado para a segunda divisão a partir da próxima temporada, anunciou nesta quinta-feira um porta-voz da Federação polonesa de Futebol (FPF).

O queda do Zaglebie será acrescida de uma punição de 10 pontos e uma multa de 27.700 euros, precisou o porta-voz.

Zaglebie Lubin ocupa atualmente a sétima colocação do campeonato polonês.

Ao longo de rigorosa investigação sobre corrupção no futebol polonês, além dos clubes, 17 pessoas, incluindo árbitros, já foram condenadas em dezembro.

Fonte: Agência AFP

Que a atitude da Federação Polonesa de Futebol sirva mais uma vez de exemplo para a conivente CBF...

Platini critica "influência perversa do dinheiro" no esporte

O presidente da Uefa, Michel Platini, criticou hoje a "influência perversa do dinheiro", que faz com que "ganhar mais se torne o único objetivo de toda organização esportiva".

Em discurso perante a Assembléia Parlamentar do Conselho da UE, Platini afirmou que, por causa desta forma de pensar, seus detratores o caricaturam como uma espécie de "Robin Hood da bola".

Diante desta concepção de lucro do esporte, Platini elogiou o voluntariado, sobre o qual, disse, o esporte europeu é quase exclusivamente apoiado e é um expoente de "troca, fraternidade e solidariedade".

Assim, afirmou que 99% dos clubes e organizações esportivas da Europa não têm fins lucrativos e têm uma estrutura piramidal, "para um funcionamento democrático e transparente".

Platini, que no sábado completará seu primeiro ano à frente da Uefa, falou do esporte de base como a "principal engrenagem na integração social e cultural" e disse que milhões de crianças que chegaram à Europa provenientes de outros continentes jogaram bola em campos de lama antes de se sentarem em um banco escolar.

Ex-capitão da seleção francesa e considerado uma das lendas do futebol mundial, Platini afirmou que "sem respeito não há bem-estar nem esporte".

O dirigente atacou a violência dos grupos extremistas, "que não têm relação alguma com o futebol, mas usam a popularidade do esporte".

Para Platini, o esporte é um "espelho com lupa" que reflete de forma clara alguns fenômenos da sociedade como racismo e xenofobia.

Diante disto, afirmou que o esporte de base é um fator de mistura e integração étnica, pois "acolhe, protege e integra".

Além disso, citou outras manchas do esporte como a lavagem de dinheiro, o suborno, a compra de resultados, as apostas ilegais, o doping e a exploração infantil.

Platini comemorou o fato de o Tratado de Lisboa (que substituirá o projeto de Constituição européia) realizar um reconhecimento da especificidade do esporte.

Também agradeceu ao Conselho da Europa por dar à Uefa a condição de observadora no Acordo Parcial Ampliado sobre o Esporte (APES, em francês) criado no ano passado.

O discurso de Platini coincidiu com a aprovação de uma resolução sobre a necessidade de preservar o modelo esportivo europeu, na qual se pede aos 47 Estados-membros que reconheçam o "trabalho inestimável" de milhões de voluntários que poderiam ser ajudados do ponto de vista fiscal.

Fonte: Yahoo! Esportes

24 de janeiro de 2008

Conmebol apóia Bolívia na luta contra proibição a jogos na altitude

A Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) apoiou nesta terça-feira (22/01) de maneira unânime a postura liderada pela Bolívia de realizar partidas na altitude, em contraposição à proibição ditada pela Fifa contra jogos em locais acima de 2.750 metros sobre o nível do mar.

Os dirigentes sul-americanos, que se reuniram nesta terça-feira na sede da Associação Nacional de Futebol do Chile (ANFP), reiteraram seu apoio à Bolívia, e anunciaram que as partidas da Taça Libertadores poderão ser disputadas em cidades com altitude superior a 2.750 metros.

No entanto, os jogos pelas Eliminatórias para a Copa do Mundo da África do Sul, em 2010, dependem da Fifa, o que impede a Conmebol de autorizá-los.

"Este não é um tema que não possamos resolver, e vamos expressar solidariedade e buscar as maneiras para pedir que o Comitê Executivo (da Fifa) estude novamente a decisão", disse o secretário-geral da Conmebol, Eduardo de Luca.

"Vamos à Fifa com bons argumentos e apoiados em uma comissão médico-científica para conversar", ressaltou o dirigente.

"A Confederação Sul-Americana de Futebol manteve a unidade. Será elaborada uma contestação para a nota da Fifa e pediremos uma reunião com a entidade", disse o uruguaio Eugenio Figueredo, vice-presidente da Conmebol.

"O mais importante é que há uma união da toda a América do Sul", acrescentou.

Fonte: Agência EFE

Partido Democrata cria time de futebol e mira estrangeiros


Com intuito de ganhar eleitores latinos, democratas de Nevada rebatizam equipe da região

O Partido Democrata parece ter encontrado uma fórmula para evitar mais uma derrota nas eleições americanas. Após dois reveses consecutivos nos últimos oito anos para seu maior rival, o Partido Republicano, os democratas apostaram no esporte mais popular do mundo, mas que não tem grande aceitação entre os norte-americanos, para conquistar um público que tem sido decisivo nos pleitos: os eleitores latinos.

A ação se moldou em agosto de 2007, quando os democratas de Nevada começaram a patrocinar um time de futebol de Las Vegas, rebatizando a equipe como Los Democratas. A intenção era cativar hispânicos apaixonados por futebol, mas que não tinham ligação com a política.

O Los Democratas comanda a Liga de Futebol de Las Vegas, que é formada por mais de 10 mil jogadores. Antes de cada um de seus jogos, membros e ativistas do Partido Democrata promovem o registro de eleitores latinos, em mesas montadas ao lado do campo.

As pessoas desenvolveram uma paixão por política. Elas vêm falar comigo após os jogos e me perguntam quem está na dianteira nas pesquisas, quem ganhou os caucus [prévia eleitoral em Nevada]. Não era assim antes”, afirmou Lalo Arredondo, capitão do time, natural do México e que há apenas seis meses se tornou um cidadão americano.

Democrata de carteirinha, Arredondo, de 25 anos, faz um paralelo entre as condições dos candidatos à Casa Branca e o esporte no qual atua na posição de volante.


"Ela [Hillary Clinton, sua candidata] tem a experiência necessária, após ter passado anos no Congresso. Já Obama (o senador Barack Obama) fala muito sobre esperança, mas é como no futebol, é preciso conciliar esperança e experiência", analisou.

Fonte: Cidade do Futebol

É... pelo jeito não são só os políticos do Brasil que se aproveitam da paixão do povo pelo futebol para conseguir angariar votos e alcançar seus objetivos eleitoreiros... Atenção, torcedores: 2008 é ano eleitoral, e muitos oportunistas aparecerão querendo ganhar seu voto a custo de muita demagogia e falsidade... Cuidado, não caiam nessa!

Uma hora a bolha estoura

Tarde de sábado chuvosa na terra adotada por Simplício. Ituano e Portuguesa jogariam no esdrúxulo horário das 18h10. Para quem não sabe, desde o ano passado, muitos jogos têm começado neste horário para não atrapalhar as transmissões da SporTV. É que muitas vezes, o jogo das 16h termina perto das 18h e cria problemas para a operação comercial da emissora. Então o mais fácil foi padronizar as partidas para as 18h10. Deu para entender?

Jogadores já batiam bola há algum tempo em Itu. Veio a ordem para o árbitro Paulo César de Oliveira atrasar o início do jogo. É que Santos e Internacional decidiam nos pênaltis uma vaga para a semifinal da Taça São Paulo e a transmissão da emissora não poderia ser interrompida.

O povo começou a vaiar e, depois de 15 minutos de espera, Paulo César usou tardiamente o bom senso e começou a partida, ao final vencida pelo Ituano por 1 a 0.

Repare na tabela do Campeonato Paulista. Tem jogos 16h, 17h, 18h, 19h30, 20h30, 21h45 (que sempre começa perto das 22h, por causa desse nefasto Big Brother). Além do horário-novidade das 23h. Acabou a padronização! Para onde levaram a tradição?

Até agora não explicaram por que o jogo do Corinthians com o Guarani começou às dez da noite de quinta-feira passada. Mas o jogo da Globo, no meio de semana, não é na quarta?

O Morumbi recebeu 30 mil corintianos. Se a partida fosse as 20h30, horário tradicional, mais de 50 mil iriam ao estádio.

Tenho o maior respeito pela Rede Globo. Mas ela só está vendo os seus interesses e de seus filhotes SporTV e pay-per-view. E nada me tira da cabeça que ela quer acabar com o público nos estádios. Assim daria as cartas com os cartolas e seria a principal receita do futebol. E os clubes e federações continuariam em suas mãos.

A televisão é muito importante para o futebol. Principalmente uma emissora da envergadura da Globo. Mas não com esse modelo absurdo.

Para ser mais democrático e justo, ao elaborar uma tabela, todos os interesses envolvidos devem ser privilegiados. E não apenas os da televisão! Com prejuízo direto para o torcedor que gosta de ir ao estádio.

Aliás, o torcedor deveria ser a preocupação número um de quem faz futebol.

Por Márcio Bernardes
BR Press

23 de janeiro de 2008

Livro que denuncia escândalos no futebol causa polêmica em Israel

Obra de Shaul Eisenberg ainda nem foi lançada e já suscita diferentes discussões

Previsto para ser lançado neste ano, um livro escrito pelo jornalista Shaul Eisenberg ainda nem chegou às prateleiras e já é tema de grandes polêmicas em Israel. A obra é focada nos bastidores do futebol do país, com graves denúncias de corrupção e condutas antiprofissionais ligadas à modalidade.

Com o título de “Sodoma e Gomorra 2”, o livro de Eisenberg relata a existência de um serviço de “sexo express” para jogadores da seleção durante os intervalos de jogos. Além disso, denuncia esquemas de corrupção envolvendo atletas, dirigentes e profissionais do futebol no país.
Antes mesmo do lançamento, a divulgação do conteúdo do livro criou enorme polêmica em Israel. Eisenberg foi submetido a uma entrevista com detector de mentiras e passou incólume pela prova.

Depois de um início como jornalista esportivo, Eisenberg foi porta-voz da Federação Israelense de Futebol e participou da diretoria do Hapoel Tel Aviv, um dos principais times de basquete do país.

Por conta do histórico ligado à federação, o jornalista foi chamado de traidor e oportunista por uma série de dirigentes do futebol em Israel. Gavri Levy, ex-diretor de futebol da Federação, foi mais contundente e classificou o autor como “um idiota”.

Fonte: Cidade do Futebol

Cinco são indiciados por tragédia da Fonte Nova

A tragédia que matou sete torcedores na Fonte Nova, em novembro do ano passado, durante jogo do Bahia contra o Vila Nova na Série C do Campeonato Brasileiro, continua dando o que falar. Ontem, cinco pessoas foram indiciadas pelo incidente: Bobô, presidente da Superintendência dos Desportos da Bahia; Virgílio Elísio, diretor da CBF; Ednaldo Rodrigues, presidente da Federação Baiana; e Petrônio Barradas, presidente do Bahia, são acusados de homicídio doloso, quando há intenção de matar. Nilo Santos Júnior, diretor de obras da Sudesb, vai responder por homicídio culposo, sem intenção de matar. Responsável pelo inquérito, a delegada Marilda Luz disse que "todos sabiam que o estádio tinha a estrutura deficitária". Além deles, a juíza Lícia Pinto Fragoso, da 2ª Vara de Defesa do Consumidor, também pode ser penalizadada, já que, em 2006, recebeu uma ação civil encaminhada pela promotora Joseane Suzart, do Ministério Público, apontando o risco de desabamento, mas não deu continuidade ao caso. Os processos seguem nesta quarta-feira para o Tribunal de Justiça da Bahia e, posteriormente, ao Ministério Púlico (MP). Caso o MP acate, os indiciados vão para juri popular.

Uma tragédia que poderia ter sido evitada...
O relatório encaminhado ao ex-governador Paulo Souto desde 2004 pelo Corpo dos Bombeiros, a Vigilância Sanitária e a Polícia Militar baiana ainda não era avaliado com o status de informação factível e de interesse público? Todas as visíveis ferrugens e rachaduras do estádio, que após a tragédia preencheram galerias e mais galerias de fotografias e gráficos, ainda não eram tão visíveis? Tampouco a interdição requerida pelo Ministério Público no início de 2006 era plausível e consistente? Talvez por isso, o anúncio que o novo governo iria construir um novo estádio era encarado como desnecessário. Afinal de contas, a Fonte Nova era viável. Bastavam alguns reparos. Ledo engano da imprensa? Não.
Como foi destado nos jornais , era uma tragédia em sete atos patrocinado pelo estado, mas também pela imprensa: omissão ao não expor problemas visíveis; negligência perante a apuração dos fatos e relatórios; irresponsabilidade postergada pela empolgação da Copa de 2014 e o acesso do time baiano à Série B; ganância diante dos espetáculos de público promovidos pelos torcedores do Bahia; arrogância e sentimento de infalibilidade da cobertura dos eventos, sem a devida autocrítica de sua participação para a construção do fato trágico; e, por fim, subserviência da redação em relação à publicidade, ao marketing e aos pontos de ibope. Estes fatos mostram que a generalizada precariedade dos estádios brasileiros se dá pelo acobertamento das autoridades, da imprensa burguêsa e dos cartolas sobre a situação limite que vivem as infra-estruturas de estádios e de obras públicas no País.

22 de janeiro de 2008

Ceará é punido pelo TJDF-CE

Os incidentes causados no Estádio Clenilsão, em Horizonte, na estréia do Ceará no Campeonato Estadual, no último dia 5 de janeiro, não passaram em branco pelos auditores do TJDF-CE (Tribunal de Justiça Desportiva de Futebol local).

Em julgamento realizado na noite desta segunda-feira, o clube alvinegro foi condenado, por dois votos a um, a cumprir uma partida sem mando de campo, com portões fechados ao público, durante o Cearense, e a pagar uma multa de R$ 10 mil.

Os advogados do Ceará, Clarke Leitão e Irazer Gadelha, afirmaram que vão recorrer nesta terça-feira da decisão ao Pleno do tribunal. Assim, o clube de Porangabuçu somente poderá cumprir a pena quando o recurso for julgado.

Durante a partida, foram arremessadas várias latas de bebidas no gramado pela torcida do Ceará, e um torcedor do time invadiu o campo e cobrou atitude dos jogadores, que ao final jogo acabaram derrotados por 5 a 1. O árbitro Luzimar Siqueira relatou na súmula e ainda citou uma bomba jogada em direção do goleiro Jefferson, do Horizonte, vinda do setor reservado aos torcedores alvinegros.

Desde a implantação das novas regras no CBJD (Código Brasileiro de Justiça Desportiva) para punições a clubes de futebol por causa de sua torcida, foi a primeira vez que um time cearense recebeu uma pena com a perda de mando de campo pelo TJDF-CE.

Fonte: LANCEPRESS

Até que enfim o Ceará foi punido em decorrência da atuação lamentável de alguns de seus torcedores. Condenação desta natureza já era para ter ocorrido no Campeonato Cearense de 2006 quando, ao ver seu time ser goleado por 4 a 0 pelo Ferroviário, a torcida do Ceará promoveu um episódio de violência ainda mais intenso (com invasões à campo, arremesso de rojões e outros objetos em direção aos jogadores, violência física nas arquibancadas, etc. Veja algumas cenas do episódio: http://youtube.com/watch?v=jLuzKFYRm4o ). É... antes tarde do que nunca!

Morales descarta construção de novo estádio em La Paz para atender Fifa

O presidente da Bolívia, Evo Morales, descartou no último sábado (19/01) construir um estádio de futebol a menos de 3.000 metros de altitude na capital, La Paz, para atender ao veto da Fifa à prática do futebol em cidades muito acima do nível do mar.

"Pensar em construir outro estádio seria desconhecer a universalidade do futebol", afirmou Morales em entrevista publicada na edição de hoje do jornal "La Prensa".

Ele disse não ter recebido nenhum documento da Fifa sugerindo a alternativa de construir este novo estádio.

Uma resolução da Fifa de maio do ano passado estabelece a proibição da realização de jogos de futebol em estádios localizados a mais de 3.000 metros de altitude, a não ser que haja um período de aclimatação de pelo menos duas semanas.

Inicialmente o organismo proibiu jogos internacionais a mais de 3.000 metros acima do nível do mar, mas rebaixou o limite para 2.500 em razão das reclamações de diversos países sul-americanos.

A Fifa também autorizou a Bolívia a jogar, pela última vez, as atuais Eliminatórias Sul-americnas no estádio Hernando Siles de La Paz, que está a 3.577 metros de altitude.

No entanto, a Fifa pediu ao Governo boliviano que construa outro estádio em La Paz, localizado numa altitude menor, para competições futuras.

O presidente brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva, e o da Venezuela, Hugo Chávez, já manifestaram seu apoio a favor de Morales.

Outro que está ao lado do presidente boliviano é Gerardo González, presidente da Federação Internacional de Jogadores Profissionais (FIFPro). Ambos se reunirão no próximo dia 29 em Amsterdã, na Holanda.

Morales buscará também o apoio do francês Michel Platini, presidente da Uefa, com quem também se reunirá, além de dirigentes de confederações africanas e asiáticas.

Perguntado por um possível encontro com o presidente da Fifa, Joseph Blatter, afirmou que irá vê-lo se necessário.

"Sinto-me capaz de capaz de persuadir e convencer os dirigentes internacionais que a igualdade e unidade sempre estão acima de uma medida discriminatória. O futebol é um instrumento de integração", comentou o presidente.

Morales se mostrou preocupado pela forma como Blatter tratou o assunto, principalmente após o presidente da Fifa dar sua palavra para resolver o problema.

Fonte: Agência EFE

21 de janeiro de 2008

Liverpool pode ser vendido para saldar dívidas, diz "The Times"

Os empresários americanos Tom Hicks e George Gillett, donos do Liverpool, podem se ver obrigados a vender o clube caso não possam arcar com a dívida contraída com um banco britânico, informou o jornal inglês "The Times".

Hicks quer chegar a um acordo com Gillett para reativar os planos de financiamento de um novo estádio para o Liverpool antes que o empréstimo do banco expire.

O clube contraiu uma dívida com o Royal Bank of Scotland estimada em quase 360 milhões de euros, cujo prazo de liquidação termina no mês que vem.

Hicks pretende substituir este empréstimo por uma nova cifra de 468 milhões de euros - orçamento que permitiria ao Liverpool iniciar a construção de um estádio para 70 mil pessoas na área de Stanley Park.

O empresário disse ainda que o novo acordo seria fechado no final desta semana, embora, segundo a publicação inglesa, Gillett não tenha plena segurança em relação ao novo plano, "da mesma forma que muitos" no Liverpool.

Uma fonte da City, centro financeiro de Londres, aumentou as dúvidas a respeito da capacidade dos americanos de juntarem uma nova soma de dinheiro que garanta o refinanciamento.

"Se os donos forem incapazes de liquidar a dívida no final de fevereiro, o Liverpool cairá em posse do banco, o que na realidade obrigaria Hicks e Gillett a vender o clube menos de 12 meses após sua aquisição", disse o "Times".

Neste contexto, dois cenários possíveis se apresentam: caso os americanos consigam seu novo plano de refinanciamento, a construção de um novo estádio estaria praticamente garantida.

Hicks e Gillett já têm em mãos um projeto da HKS, uma firma de arquitetura com sede em Dallas (Estados Unidos) que avaliou o projeto em 400 milhões de euros.

Uma segunda possibilidade, mais improvável, consistiria em uma mudança de donos. Sob esta perspectiva, explica o "Times", o técnico espanhol Rafa Benítez teria muito mais chances de continuar à frente da equipe.

Fonte: Yahoo! Esportes

É nisso que dá um time de futebol ser administrado por empresários, por pessoas que não possuem fortes laços e um amor sincero pelo clube, dirigindo-o com mãos gananciosas, cujo a principal finalidade é a obtenção de lucro... Pelo visto o tiro saiu pela culatra, mas quem paga o maior "pato" são os verdadeiros torcedores do Liverpool, que vêem seu clube ficar à mercê da lógica fria do sistema financeiro capitalista...

Mané Garrincha, o anjo das pernas tortas


“Vocês se lembram de Charles Chaplin em ‘Luzes da Ribalta’ fazendo o número das pulgas amestradas?”. Era assim que o cronista esportivo Nelson Rodrigues via Garrincha, um dos maiores gênios da história do futebol mundial, que faleceu há 25 anos, no dia 20 de janeiro de 1983.

Sua irreverência e genialidade encantam a todos até hoje. Até os que confessam não gostar de futebol se dobram aos dribles do “anjo de pernas tortas”, como foi chamado pelo poeta Carlos Drummond de Andrade. Manuel Francisco dos Santos nasceu em Pau Grande, no Rio de Janeiro. Antes de encantar o mundo com seus dribles, Mané Garrincha (ou simplesmente Mané) enfrentou todas as agruras da miséria. Consta que as pernas tortas foi o resultado de uma poliomielite adquirida na infância. Por causa da distrofia física, os médicos acharam que ele nunca seria capaz de andar direito, tampouco jogar bola. Erraram feio. Também erraram os cartolas do Vasco e do São Cristóvão, que o dispensaram em função das pernas tortas e de um desvio na coluna. Mané, então, procurou o Botafogo.

O gramado virava o picadeiro de Mané, a bola lhe era submissa e a partida virava uma festa. “É ai que estava o milagre. O povo ria antes da graça, da pirueta. Ria adivinhando que Garrincha ia fazer sua grande ária, como na ópera. Como se sabe só jogador medíocre faz futebol de primeira. O craque, o virtuoso e o estilista, prendem a bola. Sim, ele cultiva a bola como uma orquídea de luxo”, sentenciava Nelson Rodrigues. Os dribles de Garrincha não tomavam conhecimento do adversário. Fosse quem fosse o marcador era sempre algum “João” parafusado na lateral. Quando a bola estava em seus pés, todos eram iguais. Muitas vezes parecia que o craque lutava sozinho contra os onze adversários. Eles os perseguiam, lutavam em vão como touros. Mas Garrincha era um matador. Depois de driblar dois, três, quatro jogadores, ele colocava suas mãos na cintura e esperava. O silêncio das multidões era o prelúdio das gargalhadas.

O craque conheceu seu auge nas copas de 1958 e 1962. Na primeira, seu brilho foi um tanto ofuscado por um jovem e talentoso jogador chamado Pelé. Mas foi considerado o melhor de sua posição, a ponta-direita. Na segunda, Garrincha foi o responsável pela conquista do bicampeonato da seleção. Nessa Copa Pelé, já consagrado, não pôde jogar devido a uma contusão. No entanto, na maior parte de sua carreira, ele defendeu o Botafogo (1953 a 1965). Passou também pelo Corinthians (1966), Flamengo (1969) e também no Olaria, em 1972, quando já estava em fase decadente. Pela seleção atuou até 1966, ano em que a Inglaterra conquistou o mundial e o Brasil foi eliminado por Portugal. Se Garrincha foi chamado de “a alegria do povo”, sua vida foi marcada por muitas tragédias. No final dos anos 60, Mané entrou numa espiral de decadência. Seu casamento com a cantora Elza Soares, muito condenado na época, estava nas últimas. Com a idade e a vida boêmia, Mané perdeu a agilidade para o futebol. Seus problemas se agravaram com o alcoolismo, que acabou o levando à morte. Em 1982, depois de vários anos sem ser visto publicamente, um Garrincha catatônico surgiu em um carro alegórico da Mangueira, que lhe prestava homenagem naquele carnaval. Mané não conseguia nem ficar em pé para saudar a multidão que tanto lhe louvou. Anos depois, morreu pobre e solitário.

Nas lembranças e homenagens que serão rendidas ao craque, muitos dirão que Mané não teria espaço no futebol moderno. Infelizmente eles não deixam de ter certa razão. A alegria e a irreverência de Garrincha nada têm a ver como o futebol técnico, mecânico, defensivo, posteriormente apelidado como “futebol de resultado”, praticado por jogadores pagos a peso de ouro. E pior, uma mediocridade louvada por inúmeros jornalistas, jogadores e técnicos, chamados hoje em dia de “professores”. Mesmo assim, a sombra da irreverência de Mané tenta sobreviver, como, por exemplo, no drible da foca do cruzeirense Kerlon, que controla a bola na cabeça e vai à direção do gol. Em um jogo contra o Atlético Mineiro, ao tentar a jogada Kerlon foi agredido com violência e burrice, pelo seu marcador. O caso provocou polêmica e os arautos da mediocridade defenderam a agressão. “Irreverência não pode, o que vale é dar porrada”, propagou aos quatro ventos o “professor” Joel Santana.O que esperar de um futebol cujos campeonatos são marcados pela corrupção, cartolagem e a crescente mercantilização das grandes empresas que patrocinam clubes e jogadores? De um campeonato de péssimo nível técnico, onde o melhor jogador brasileiro é um goleiro? Não que Rogerio Cenni não mereça, mas o Brasil sempre foi um celeiro de artilheiros. Infelizmente, no futebol dos pernas de pau, dos medíocres e ordinários, há cada vez menos espaço para espetáculos de “pernas tortas”.

Jeferson Choma do Opinião Socialista

20 de janeiro de 2008

Lula diz a Morales que vai defender na Fifa jogos em grandes altitudes

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva prometeu sexta-feira (18/01) ao chefe de Estado boliviano, Evo Morales, que defenderá perante a Fifa a realização de partidas de futebol em lugares com mais de 3 mil metros de altura.

O porta-voz de Lula, Marcelo Baumbach, disse em entrevista coletiva que esse foi o assunto principal de uma conversa por telefone que os dois líderes tiveram hoje e que durou quinze minutos.

A Bolívia iniciou uma campanha contra a decisão da Fifa, que, por exemplo, exclui para jogos internacionais o estádio Hernando Siles, de La Paz, cidade situada a 3.577 metros acima do nível do mar.

Nesse estádio, a seleção boliviana pretende enfrentar em junho o Chile e o Paraguai, em partidas correspondentes às eliminatórias sul-americanas da Copa do Mundo de 2010.

Segundo o porta-voz, Lula se comprometeu com Morales a enviar cartas em favor da posição boliviana à Fifa, à Conmebol e também à CBF, que apóia a decisão da Federação Internacional de Futebol.

Baumbach afirmou que Lula diz entender as preocupações que existem em torno da saúde dos jogadores que devem jogar em grandes altitudes, mas que também entende o esporte como "um fator para a integração dos povos".

O porta-voz indicou que o presidente garantiu a Morales que as cartas serão enviadas até a próxima terça-feira, quando o Comitê Executivo da Conmebol se reunirá no Chile para discutir o assunto.

Fonte: Agência EFE

19 de janeiro de 2008

Ex-dirigentes da FPF depõem na Justiça

Ex-presidentes da federação paranaense são convocados pela 5ª Vara Criminal de Curitiba para falar sobre possíveis irregularidades na entidade

Os ex-presidentes da Federação Paranaense de Futebol (FPF), Onaireves Moura e Aluizio Ferreira prestaram depoimento durante essa semana na 5.ª Vara Criminal de Curitiba. O interrogatório foi o primeiro passo do processo judicial que investiga irregularidades na entidade.
Onaireves Moura parecia bastante debilitado durante o interrogatório. O ex-dirigente da FPF passou recentemente por duas cirurgias - uma para extração da vesícula e outra para retirada de um abscesso formado após infecção no local da primeira intervenção.
Durante o interrogatório, alegou que o dinheiro canalizado para as contas bancárias da Comfiar e do Colégio Técnico da FPF eram usadas para pagamento de funcionários e despesas como eletricidade e os campeonatos da Federação.
A denúncia do Ministério Público, baseada em investigações do Núcleo de Repressão a Crimes Econômicos, da Polícia Civil, aponta que Moura e seus ex-diretores da FPF desviaram R$ 5 milhões dos cofres da entidade.
Aluízio Ferreira, que respondeu sobre a condução das contas da FPF no período de três meses em que comandou a entidade, era vice de Moura e o sucedeu após a condenação do ex-presidente na justiça desportiva, até ser também afastado pela Justiça.
Moura continua preso no Complexo Médico Penal de Piraquara. O advogado dele, Eliezer Queiroz, pediu libertação do ex-dirigente junto à 3.ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça, mas o habeas corpus foi negado. Agora, o defensor entrou com pedido de liberdade provisória na própria 5.ª Vara Criminal, que deve ser apreciado na semana que vem.

Dos outros oito presos na Operação Cartão Vermelho, do Nurce, em novembro de 2007, seis já foram soltos e responderão ao processo em liberdade: Cirus Itiberê da Cunha, Marco Aurélio Rodrigues, Laércio Polanski, César Alberto Teixeira de Oliveira, Vanderlei Manoel Ignácio e Roberto Tiboni. Além de Moura, permanecem detidos Johelson Pissaia e Carlos Roberto de Oliveira.

Fonte: Cidade do Futebol

Venezuela apoiará Bolívia em proibição a jogos na altitude

A Venezuela apoiará a Bolívia em seu "direito natural" de jogar na altitude de La Paz durante os debates da Conmebol para revisar a proibição da Fifa à realização de partidas em locais a 2.750 metros acima do nível do mar.

Serafín Boutureira, presidente encarregado da Federação Venezuelana de Futebol (FVF), disse à Agência Efe que será pedida a aprovação de uma moção para solicitar à Fifa que ponha fim à proibição.

"O presidente da FVF, Rafael Esquivel, viajará à Bolívia para apoiar-lhe neste caso. A linha da Federação é que a Bolívia tem o direito de jogar onde quiser", afirmou.

O dirigente disse ainda que acredita que cada país tem o direito e o poder de decidir onde quer jogar.

"Eu, particularmente, penso que a Bolívia tem todo o direito de ter La Paz como sede", afirmou.

Boutureira disse também que no debate sobre a altitude que a Conmebol promoverá em Santiago, capital do Chile, no dia 22 de janeiro, por causa do veto, deve haver um consenso em favor da Bolívia.

A nova resolução da Fifa sobre o tema da altitude foi divulgada na semana passada na Bolívia através da Conmebol.

Na resolução, a principal entidade do futebol mundial proíbe jogos em locais acima de 2.750 do nível do mar, a não ser que possa haver "um período de aclimatação de pelo menos duas semanas".

A decisão prejudica a realização de jogos internacionais no estádio Hernando Siles, de La Paz, situado a 3.577 metros acima do nível do mar.

Fonte: Agência EFE

Clubes de futebol da Romênia são alvo da Justiça por corrupção

Dez figuras importantes do futebol romeno, entre presidentes de clubes e representantes de jogadores, deverão responder à Justiça sob as acusações de evasão fiscal, fraude e lavagem de dinheiro.

Segundo a Promotoria anticorrupção da Romênia, os acusados são suspeitos de terem escondido os valores de transferência de alguns jogadores entre 1999 e 2005. As perdas somam cerca de 12 milhões de euros.

Entre os suspeitos estão os presidentes dos clubes Rapid, Dínamo e Gloria Bistrita.

As autoridades investigaram provas em países como Holanda, Espanha e Itália, que mostram diferenças entre as somas reais e as declaradas - maquiadas em paraísos fiscais.

Fonte: Yahoo! Esportes

18 de janeiro de 2008

Conheça o perfil da torcida coral segundo o Datafolha

Continua repercutindo a publicação da mais recente pesquisa do Instituto Datafolha sobre o futebol brasileiro. De acordo com esta nova divulgação, a torcida do Ferroviário Atlético Clube é considerada a 13ª maior do Nordeste e a 45ª maior do país.

Enquanto a maioria esmagadora da crônica esportiva cearense (Rádio, TV, Blogs e Jornais), de forma suspeita, preferiu noticiar a pesquisa com viés apenas para os dados de Ceará e Fortaleza, sequer mencionando o significativo índice coral, o Site Oficial do Ferrão publica maiores detalhes a respeito das informações apontadas pelo estudo.

Segundo o Datafolha, a torcida do Ferrão é composta, em sua grande maioria, por indivíduos do sexo masculino, com faixa etária situada entre 16 e 34 anos (fato já atestado no perfil dos recentes sócio-torcedores do clube), nível médio de escolaridade, renda familiar entre 2 e 5 salários mínimos, o que coloca o torcedor coral dentro da população economicamente ativa do país.

Os dados acima comprovam a quebra de velhos tabus consolidados ao longo do tempo, frutos de observações maldosas e inverídicas que atendem, historicamente, a vários interesses econômicos e comerciais no futebol cearense. Colocações que fazem menção a um grande percentual de idosos na torcida coral e ao reduzido número de torcedores do clube na capital cearense são paradígmas derrubados e execrados pela recente pesquisa.

Em 2005, a Gazeta Mercantil publicou um artigo dando conta que o potencial de torcida do Tubarão da Barra contemplava cerca de 200 mil pessoas. Com os novos dados, todo torcedor coral tem a obrigação de replicar as informações acerca do perfil da torcida do Ferroviário, um clube que caminha célere para o seu 75° aniversário, revigorado em potencial e em expectativas futuras.

Parabéns torcedor coral, em meio a centenas de times brasileiros, o Ferrão possuiu a 45ª torcida mais importante do país.

Fonte: Site oficial do Ferroviário

Aumento do preço dos ingressos na Justiça

Comissão de Defesa do Consumidor da Alerj tenta impedir que valores sejam cobrados

O aumento de até 50% nos preços dos ingressos do Campeonato Carioca continua gerando muita polêmica. Nesta quinta-feira, a Comissão de Defesa do Consumidor da Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) revelou que entrou com uma ação civíl pública na 3ª Vara Empresarial do Tribunal de Justiça para que os preços cobrados sejam os mesmos do ano passado até que seja apresentada planilha de custos que demonstre a real necessidade do aumento.

O aumento foi estabelecido depois de uma decisão conjunta de todos os dirigentes dos clubes da Primeira Divisão que participarão do Carioca. Este ano não haverá diferença de preço nos jogos de times grandes contra pequenos e clássicos como ocorreu no ano passado. No Maracanã, por exemplo, onde haverá os clássicos e onde Flamengo e Fluminense mandarão seus jogos contra os pequenos, a arquibancada branca custará R$ 40 e a verde e a amarela, R$ 30.

Nas fases semifinas da Taça Guanabara e da Taça Rio e nas finais, o preço da arquibancada dispara para R$ 50 a arquibancada branca e R$ 40 a verde e a amarela. Já para quem prefere ficar nas cadeiras inferiores, a antiga geral, o valor do ingresso é de R$ 20. A cadeira especial custa R$ 120.

De acordo com a deputada estadual Cidinha Campos, que preside a comissão, os clubes estão desrespeitando a legislação e atuando de forma abusiva.

- Em vez de planilhas, os clubes, por meio de seus dirigentes, apresentaram aos torcedores justificativas desprovidas de qualquer conteúdo e que demonstram total desrespeito para com aqueles que são responsáveis por parcela considerável do sucesso do espetáculo protagonizado pelos jogadores nos gramados - argumenta a parlamentar por intermédio da assessoria de imprensa da Alerj.

O presidente da Suderj, Eduardo Paes, concedeu entrevista ao GLOBOESPORTE.COM, na terça-feira, dia 15, e também deixou claro que acha o aumento nos preços abusivo.

Os quatro grandes clubes do Rio, Flamengo, Fluminense, Botafogo e Vasco, e mais a Federação, devem ser notificados sobre a ação da Alerj em breve.

Fonte: Globoesporte

Enquanto isso, aqui em Fortaleza, permanece o aumento do preço dos ingressos das partidas de futebol do Campeonato Cearense realizadas no estádio Presidente Vargas. Até o presente momento, nenhuma intervenção jurídica foi realizada na tentativa de reverter tal decisão. Os torcedores - não só do Ferroviário, mas de todos outros times partícipes - devem mobilizar-se para impedir este aumento que, em nosso entender, é injustificável!

17 de janeiro de 2008

Torcida organizada do Hajduk Split ameaça sérvios e judeus na Croácia

Uma torcida organizada do Hajduk Split, tradicional clube croata, ameaçou sérvios e judeus do país, informou hoje o jornal "Vecernji List".

A igreja ortodoxa sérvia de Split recebeu uma carta com ameaças assinada pela organização chamada Hajduk Jugend, em referência às Juventudes Hitlerianas.

O documento, em que constam ameaças como a erradicação total da minoria sérvia na Croácia e a expulsão dos judeus do país, foi enviada por ocasião do Ano Novo ortodoxo, em 14 de janeiro.

Os grupos defendem ainda o nazismo e os ustashi, Pró-nazistas croatas durante a Segunda Guerra Mundial.

"Sérvios à forca" e "Juden Raus" ("judeus, fora", em alemão) foram algumas das frases com destaque na carta, que também contém ameaças contra o presidente croata, Stjepan Mesic, conhecido por suas atitudes tolerantes em relação às minorias étnicas.

O Hajduk Jugend apareceu pela primeira vez no ano passado e reúne os torcedores mais violentos de extrema direita.

As autoridades do clube negaram qualquer ligação com o grupo.

Fonte: Agência EFE

Clube polonês da primeira divisão é rebaixado por corrupção


A Federação Polonesa de Futebol (PZPN) decidiu rebaixar o Widzew Lodz para a segunda divisão por corrupção, anunciou nesta quarta-feira (16/01) Michal Tomczak, chefe do departamento disciplinar da entidade.

Além de rebaixado, o Widzew Lodz foi multado em 9.780 euros e começará a próxima temporada com menos seis pontos, acrescentou.

O clube, acusado de corromper os árbitros em doze jogos da temporada 2004/2005, reconheceu sua culpa, mas seu presidente, Boguslaw Sosnowski, considerou a pena muito pesada e anunciou que vai apelar.

O Widzew Lodz ocupa atualmente o 13º lugar na classificação do atual campeonato.

Outros cinco clubes foram rebaixados em conseqüência de uma grande investigação sobre corrupção no futebol polonês. Dezessete pessoas foram presas, entre elas alguns árbitros e dirigentes da PZPN.

Fonte: AFP

Se aqui no Brasil acontecesse o mesmo tipo de punição, teriam que criar novas divisões para comportar a quantidade de clubes que seriam rebaixados...

Torcedor alemão ganha leilão para treinar time


Em meio à crise financeira, KFC Uerdingen negocia pela internet cargo de técnico por um jogo

Momentos de crise financeira muitas vezes fazem com que clubes de futebol tomem algumas atitudes inusitadas, em prol de sua reestruturação. Um exemplo é o KFC Uerdingen, que está na quarta divisão do futebol alemão, e vendeu por um dia o cargo de treinador do time.

O clube, que foi campeão da Copa da Alemanha em 1985, leiloou pela internet o principal posto no banco de reservas da equipe profissional. Um torcedor, cujo nome não foi revelado, então, pagou a bagatela de € 4.110 (R$ 10.650) e saiu vitorioso.

Assim, o simpatizante do KFC já comandará seu time de coração no próximo sábado, no confronto diante do Oberhausem.

É uma boa quantia de dinheiro, mas o mais importante é que despertamos o interesse de eventuais investidores”, afirmou Aleksandr Ristic, o verdadeiro técnico, que concordou com a idéia, mesmo correndo o risco de ficar desempregado na seqüência.

Fonte: Cidade do Futebol


A mercantilização do futebol chegou a tal ponto que alguns clubes se veêm obrigados a apelar para este tipo de coisa na tentativa de escapar da temida crise financeira... Triste realidade...