30 de novembro de 2009

O neoliberalismo do Fortaleza


Fortaleza caiu.
Ruiu a experiencia de entronizar o neoliberalismo no futebol, do qual seu presidente é um adepto.
O clube mínimo, assim como o Estado mínimo que eles tanto apregoam não deu certo.
No Estado mínimo a população paga, hoje, o descalabro dos serviços públicos serem controlados pelas próprias empresas prestadoras de serviços.
Já no clube mínimo, não existe a mínima possibilidade do craque ganhar o mesmo salário de um jogador mediano.
E o neoliberalismo jogou o Fortaleza na terceira divisão.

Postado por Martins Andrade

Fonte: Futebol Baião-de-Dois

28 de novembro de 2009

Presidente do Palmeiras faz declaração considerada homofóbica

"Vamos matar os bambis" disse o presidente do Palmeiras Luiz Gonzaga Belluzzo (afastado temporariamente do carto pelo STJD) durante o aniversário da escola de samba de uma das torcidas organizadas do time.

O vídeo com a declaração vazou na Internet, mas Belluzzo desculpou-se e disse que não tinha nenhuma intenção de falar sério. "Falei em um ambientede festa, há dois meses, em uma escola de samba. Estava com minha família, minha filha, era brincadeira" explicou em entrevista para o GE.net.

Manifestações no futebol tendo com referência a homossexualidade são comuns no Brasil. Na festa de aniversário do Corinthians, torcedores exibiram um veado vestido com as cores do São Paulo, o que foi repudiado pela diretoria são-paulina.

Ao explicar a expressão usada, Belluzzo ressaltou que o verbo "matar" é linguagem de futebol e que não tem nenhuma relação com incitar a violência. "Faleimatar no sentido futebolístico" disse o dirigente.

Fonte: AthosGLS


26 de novembro de 2009

FCF? Federação Cearense de Futebol

Eu tento não me indignar, mas é difícil. Tento não mais ligar para as injustiças do futebol cearense e me dedicar exclusivamente ao Ferroviário, mas é difícil.

Poucos dias após a volta do Fortaleza para a terceira divisão do Campeonato Brasileiro, o presidente da FCF, via Twitter, declarou: "Diante da atual situação estou estudando a antecipação da Copa Estado do Ceará".

Há vários anos que o Ferroviário, assim como a grande maioria dos times cearenses, sofre na pele por não ter calendário o ano inteiro, enquanto Ceará e Fortaleza vivem (ou viviam) em berço esplêndido. Por que nunca se preocuparam com isso?

Não aceito como resposta o fato de Ceará e Fortaleza terem mais títulos e torcidas maiores. Uma federação deve tratar igualmente todos os seus filiados. Afinal, o que significa FCF? Federação Cearense de Futebol.

Ah, e vale uma observação importante: a realização desta copa estadual deve-se exclusivamente à militância de torcedores do Ferroviário, que, também indignados, foram ao Ministério Público e denunciaram a FCF por desrespeito ao Artigo 8° do Estatuto do Torcedor, que obriga as federações à garantirem pelo menos 10 meses de atividade aos clubes.

Postado por Chateaubriand Arrais Filho

Fonte: Portal oficial do Ferroviário

Manipulação e corrupção abalam futebol na Europa

A Procuradoria Geral de Bochum revelou neste fim de semana que prendeu 17 pessoas (15 na Alemanha e 2 na Suíça) por envolvimento em casos de manipulação de resultados de 200 partidas de futebol na Europa visando beneficiar grupos ligados ao negócio de apostas. Os principais acusados são de Berlim, Nuremberg e Bochum.

Foram expedidos ainda 50 mandados de busca e apreensão em casas de apostas na Alemanha, Suíça e Áustria o que resultou no confisco de milhares de documentos e um milhão de Euros em dinheiro vivo.

Trata-se do maior escândalo de apostas do futebol europeu de toda sua história e coloca em dúvida a credibilidade desse esporte que movimento bilhões de Euros anualmente.

Ao que tudo indica, há pelo menos um árbitro da Federação Alemã envolvido além de jogadores e dirigentes. A grande maioria dos indiciados no caso vive na Alemanha.

As averiguações feitas até agora resultaram em dados já devidamente comprovados pela Procuradoria Geral de Bochum relacionados a seguir:

Na Alemanha foram manipulados os resultados de um total de 32 jogos, sendo 18 das Ligas Regionais, 5 das Ligas Superiores, 4 da 2ª Divisão e 3 da 3ª Divisão. Até agora não foi constatado nenhuma manipulação em partidas da 1ª Divisão.

Há ainda indícios de corrupção e manipulação em pelo menos 3 jogos da Champions League, assim como 12 confrontos da Liga Europa.

A polícia estendeu as suas investigações a aproximadamente 200 pessoas: de um lado, os "compradores" de resultados e de outro, jogadores, técnicos, cartolas e árbitros que aceitaram subornos.

Diante das escandalosas revelações da polícia alemã, esperava-se uma reação enérgica da Federação Alemã de Futebol na pessoa do seu presidente, Theo Zwanziger; reação essa que, pelo menos até agora, deixou muito a desejar.

No primeiro momento Zwanziger se declarou aliviada pelo fato de clubes alemães não estarem envolvidos no caso (?) para logo em seguida, em comunicado oficial, afirmar que "não entende toda essa excitação da mídia, porque afinal são apenas 32 partidas."

E o torcedor o que pensa? "Esse novo escândalo de apostas revela apenas o que o Futebol é na realidade: um grande negócio, é só grana, pouco a ver com o esporte." declarou o porta-voz da ONG Iniciativa Pró-Fãs que defende os interesses dos torcedores alemães.

Pelo que se pôde ouvir nas arquibancadas reservadas para as torcidas organizadas nos estádios neste fim de semana, a ONG tem razão: "Futebol, Máfia e DFB (Federação Alemã de Futebol) - tudo farinha do mesmo saco", entoavam em coro milhares de pessoas que, pelo jeito, já perderam a fé no futebol como esporte.


Fonte: ESPN

8 de novembro de 2009

Jogador de futebol é demitido por ser homofóbico


A Polônia, país dos mais homofóbicos da Europa, teve uma baixa esta semana. O goleiro polonês Arek Onyszko foi demitido por declarações preconceituosas contra gays. o atleta jogava pelo clube FC Midtjylland, da Dinamarca, onde jogava. Em sua biografia, cujo título é “Fucking Polak” (algo como “Polaco Poderoso”), o jogador declarou odiar homossexuais.

“É lamentável ter de ouvi-los falarem uns com os outros como se fossem ‘mulherzinhas’. Não consigo estar no mesmo espaço que um homossexual. Vejam como eles se beijam. É doentio”, relata o jogador no livro. Há cinco meses, Onyszko havia sido demitido de outro clube dinamarquês quando foi condenado a três meses de prisão por ter agredido a sua ex-mulher.

Fonte: ParouTudo.com

Doentio é a homofobia e outros tipos de preconceitos. A punição para esse sujeito saiu barata...

Time ameaça deixar Campeonato Turco por causa de torcedores racistas


Istambul, 2 nov (EFE) - O Diyarbakirspor, equipe curda da primeira divisão do futebol turco, anunciou que deixará o campeonato nacional em protesto contra o racismo que vem sofrendo há semanas.

O time de Diyarbakir, a cidade mais povoada da região curda da Turquia, não entrará em campo no jogo contra o Galatasaray de Istambul, disse à agência de notícias "Anadolu" o presidente do clube, Çetin Sümer.


A decisão é uma resposta ao tratamento racista que jogadores e torcedores do Diyarbakirspor têm sofrido da torcida de de outros times pelo fato de o clube ser de origem curda.


A reação também é um protesto contra a Federação de Futebol da Turquia, que não estaria fazendo muito para evitar os insultos, apesar das constantes reclamações da equipe.


No mês passado, durante uma partida contra o Bursaspor, cujos torcedores radicais são conhecidos pelo forte nacionalismo turco, a torcida do Diyarbakirspor foi agredida e chamada de "separatista" e de seguidora do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK).


Tanto nesse como em outros jogos, os torcedores adversários gritaram frases como "Que feliz aquele que pode dizer 'Sou turco!'", uma das famosas frases do fundador da República da Turquia, Mustafa Kemal Tatürk, algo que irritou e ofendeu os seguidores curdos.


A repetição desses incidentes na última partida, disputada contra o Gaziantepspor neste fim de semana, e as polêmicas decisões da arbitragem que permitiram ao time local vencer o Diyarbakirspor com gols marcados nos últimos três minutos, foram a "gota de água" para que a direção do clube de Diyarbakir decidisse deixar o campeonato.


"Estão tentando colocar obstáculos contra nós", reclamou o técnico Ziya Doga em declarações à agência "DHA".

O presidente do Diyarbakirspor explicou que levará sua decisão de deixar o campeonato à Prefeitura de Diyarbakir, em mãos do partido nacionalista curdo DTP, e a organizações da sociedade civil, já que o clube "não é da direção, mas de toda a cidade".

Fonte: Agência EFE

5 de novembro de 2009

Crias da base perdem vínculo contratual com o Ferroviário

A nova diretoria do Ferroviário terá pela frente uma árdua tarefa de descobrir o paradeiro dos principais atletas formados nas categorias de base do clube. Vários jogadores tiveram seus contratos rescindidos pela antiga gestão sem que tivessem sido oficialmente negociados com outros clubes.

Os contratos de jogadores como Guto, Leonardo, Diego, Léo Jaime, dentre outros, deveriam vigorar por cerca de mais três anos. Sem nenhuma explicação plausível, todas as crias do clube foram desvinculadas do Ferroviário, tendo ainda que assinar documentos em branco para continuarem suas carreiras em outras equipes.

Na prestação de contas entregue pelo ex-presidente Paulo Wágner Pinheiro ao Conselho Deliberativo, não consta nenhum lançamento de valores oriundos de negociações de jogadores. O fato causou bastante estranheza entre os corais. Entre agosto e outubro desse ano, o número de atletas vinculados ao Ferroviário reduziu de quase 100 jogadores para menos de 20. Nesse contexto, todas as revelações das categorias de base tiveram seus contratos rescindidos.

Os novos diretores do Ferroviário confirmaram o desejo de promover uma ampla auditoria nas contas do clube para que seja feito um levantamento minucioso da situação. Só em termos de passivos judiciais, Vilemar Rodrigues (foto), presidente do Conselho Deliberativo, estima atualmente cifras em torno de 2 milhões de Reais.

Fonte: Portal oficial do Ferroviário

Que essa auditoria seja realmente posta em prática e concretizada pela nova diretoria. Esperamos que os culpados sejam apontados para que possam pagar o preço por terem cometido essa rapinagem contra o nosso clube. Nós estaremos de olho e, junto com os demais torcedores corais, buscaremos banir de vez estes parasitas que assolaram e os que continuam assolando o Ferrão!

3 de novembro de 2009

O problema sócio-econômico do futebol cearense

Sou um dos mais ferrenhos críticos ao calendário do futebol cearense. Há quase três anos, tenho publicamente batido na tecla de que o atual modelo enfraquece o futebol local como um todo, privilegiando e protegendo apenas os clubes que disputam a Série B nacional, excluindo a maioria esmagadora das equipes. O problema se repete há tempos sem que nada seja feito de concreto, num total desrespeito ao que reza o Estatuto do Torcedor que prevê, no mínimo, dez meses de competições oficiais para todos.

Enquanto Ceará e Fortaleza oferecem o pão e o circo, a discussão sequer é lembrada. O silêncio vergonhoso de quem teria a obrigação de promover o debate acoberta não apenas uma injustiça - e ilegalidade - esportiva, mas uma questão seriíssima em nível sócio-econômico. Há uma altíssimo nível de desemprego entre os profissionais da bola, que na melhor das hipóteses, são submetidos a contratos temporários de apenas três ou quatro meses no ano inteiro.

Semana passada, o promissor zagueiro Tonton foi vítima desse calendário excludente. Tendo que se submeter a faturar, em nome da própria sobrevivência, míseros 200 Reais para disputar uma partida de liga interiorana, o ex-beque do Horizonte faleceu em acidente automobilístico. Tonton é apenas mais um exemplo, pois, na prática, todos os dias inúmeros atleta locais passam fome por não ter onde trabalhar, diante da curiosa inoperância de seu próprio sindicato.

A FCF acena mudanças a partir da criação de uma copa estadual, já anunciada, que premiará o campeão com uma vaga para a Copa do Brasil no ano seguinte, a exemplo do que acontece em todos os outros estados brasileiros. Já não era sem tempo. O problema do desemprego será minimizado e ainda exigirá dos clubes um nível de planejamento que a maioria não está acostumada - e essa lógica inclui o Ferroviário. Melhor para o futebol cearense, que passará por um processo de seleção natural onde os bons, comprometidos e organizados ficarão, o que a médio e longo prazo, fortalecerá o nosso desporto.

Vai sempre haver quem ache ruim, afinal de contas é bem mais fácil permanecer na inatividade e na zona de conforto, local onde podem ser realizados os negócios mais escusos, longe dos holofotes durante a maior parte do ano, o que muitas vezes inviabiliza um processo de mudança. Vamos ver se os dirigentes eleitos da nova FCF cumprirão a promessa e quebrarão o status quo. Se assim o fizerem, estarão contribuindo para um futebol cearense mais forte e merecerão o respeito de uma legião de desportistas que vêem o esporte de uma forma muito mais ampla do que simplesmente a rivalidade nos gramados.

Postado por Evandro Gomes


Fonte: Portal oficial do Ferroviário