4 de dezembro de 2011

Adeus, Doutor!


É uma perda irreparável para o futebol brasileiro. Não o futebol milionário, que obedecia a lógica do mercado, onde o bom jogador se forma pra ganhar dinheiro e dar dinheiro pro clube.
Sócrates era um dos poucos que denunciava o mercado do futebol e a falta que faz "aquele" futebol bonito, por prazer, apenas pra ver o povo brasileiro, tão sofrido, mais feliz.
Sócrates foi também um dos poucos, ousaria dizer o único que ainda hoje, mesmo depois do dito "fim da ditadura" e da sua aposentadoria no futebol, denunciava que não havia democracia no Corinthians e dizia a diretoria atual não gostava dele porque ele dizia a verdade.
Infelizmente, não pude ver o Dr. Sócrates jogar, mas há pouco tempo vi uma entrevista no Programa De Frente Com Gabi e pude ter certeza da sobriedade das coisas que ele falava.
Além de futebol, ele falava de vários outros assuntos, dentre eles as desigualdades sociais. Apesar de não concordar com as saídas propostas por ele, com certeza, ele devia ser um exemplo para os outros jogadores, não só como jogador de futebol, mas também, o quanto, apesar dos preconceitos, um jogador de futebol pode sim ser inteligente, falar bem sobre diversos assuntos e SIM assumir uma posição crítica na sociedade. Um jogador de futebol não deve apenas jogar bola, e foi isso que ele fez!
Vai fazer muita falta, não só para os Corinthianos, mas para todos aqueles que acreditam que futebol é muito mais do que ganhar títulos e vender jogadores. Fará falta para todos aqueles que perceberam que futebol é amor, é arte, é espetáculo. E isso ele fazia muito bem.

Escrito porÂngela Nóbrega

28 de setembro de 2011

Redson, fundador do grupo punk Cólera, morre aos 49 anos

Morreu na noite desta terça-feira (28), em São Paulo, o músico Edson "Redson" Pozzi, guitarrista e vocalista do grupo punk Cólera, um dos mais importantes do cenário brasileiro. Apesar de poucos detalhes divulgados, a informação é a de que Redson teria sofrido uma parada cardiorrespiratória.

A notícia da morte foi dada na comunidade da banda no Orkut pelo baixista Val Pinheiro: "lamento informar a todos os nossos amigos, fãs e família que o nosso principal membro da banda Cólera, Redson, faleceu hoje, deixando um legado incalculável em nossas vidas". No Twitter, o músico João Gordo, da banda Ratos de Porão, lamentou a morte do músico. "É com lágrimas nos olhos que recebo a notícia da morte prematura do maior ícone do punk brasileiro. Descanse em paz, Redson. É uma perda irreparável, estou chocado", escreveu.

Fonte: UOL Notícias.


Paz entre nós, guerra aos senhores
"só cremos na paz e a desejamos sob a condição suprema da liberdade"


19 de setembro de 2011

Brasil comienza a contar mil días para Mundial con obras atrasadas y huelgas

Por Agencia EFE
http://futbolrebelde.blogspot.com/


Brasil inició hoy la cuenta atrás de los mil días que faltan para la inauguración del Mundial del fútbol de 2014 con actos en las doce ciudades sede del evento, pero con varias obras atrasadas y huelgas en dos de los estadios que están en reforma.

El acto principal tuvo lugar en Belo Horizonte, precisamente la ciudad que tiene más adelantadas las obras, donde la presidenta brasileña, Dilma Rousseff, acudió para anunciar inversiones por 2.300 millones de reales (unos 1.353 millones de dólares) en la ampliación del metro de la ciudad.

En Sao Paulo, en un evento en el lugar en el que se construye el estadio Itaquerao, que contó con la participación del gobernador regional, Geraldo Alckmin, y del campeón mundial Ronaldo, fue inaugurado uno de los relojes cuentan los mil días que faltan para la inauguración del Mundial, el 12 de junio de 2014.

Rousseff visitó las obras de remodelación del estadio Mineirao, que aspira a ser el escenario para la ceremonia inaugural del Mundial, en un día en que los empleados responsables por las reformas cruzaron los brazos en una huelga relámpago para reivindicar mejorías salariales.

Justo cuando se cuentan los mil días que faltan para el Mundial de fútbol, el deporte más popular del país, los cerca de 2.000 obreros que trabajan en las reformas del estadio Maracaná completaron 16 días de huelga a la espera de mejorías en las condiciones de trabajo.

La paralización de las obras en el "templo del fútbol" brasileño y el estadio con más opciones para ser sede de la final del Mundial amenaza la entrega del escenario, prevista para diciembre de 2012, para que pueda ser utilizado en la Copa de las Confederaciones de 2013.

Rousseff, que acudió al Mineirao de Belo Horizonte acompañada del ministro de Deportes, Orlando Silva, y del exftubolista Pelé, embajador especial del Gobierno para el Mundial, aseguró que Brasil organizará uno de los mayores eventos del mundo precisamente en uno de sus momentos de más prosperidad.

La mandataria, que posó junto a una camiseta de la selección brasileña con el número 1.000, atribuyó a Pelé parte de la pasión de los brasileños por el fútbol.

"Si hubo alguien responsable de que varias generaciones admirasen el fútbol es nuestro querido Pelé, un brasileño con un talento excepcional y una capacidad física fantástica, y no sólo el mayor atleta del siglo XX sino de los últimos tiempos", afirmó.

Tras anunciar 1.353 millones de dólares para el metro y otras infraestructuras de transporte en Belo Horizonte, la mandataria dijo que las inversiones en las obras para el Mundial ayudarán a Brasil a superar la crisis económica internacional.

"Seguir invirtiendo pesadamente en obras de infraestructura es parte de nuestra estrategia para garantizar que Brasil mantenga su desarrollo en ritmo adecuado", afirmó.

La mandataria aprovechó el acto para anunciar la llamada Ley General del Mundial de 2014, cuya presentación era pedida por la FIFA desde hace semanas, y que ofrece condiciones especiales e incentivos para las empresas con negocios en la Copa del Mundo.

Rousseff, que en los próximos días también anunciará inversiones para el metro en Salvador, Porto Alegre y Curitiba, agregó que las doce ciudades sede del Mundial están haciendo grandes esfuerzos para estar listas a tiempo.

Sin embargo, según un informe divulgado por el propio Gobierno esta semana, hay un serio retraso en las obras de aeropuertos y de vías de acceso para el Mundial, aunque las autoridades garantizan que serán concluidas a tiempo.

Las obras más adelantadas en general son los estadios, pese a que el de Sao Paulo apenas comenzó a ser construido hace un mes y el de Natal aún está en el papel.

El Gobierno garantiza que nueve de los doce estadios estarán concluidos en diciembre de 2012 y servirán para la Copa de las Confederaciones, que se disputará a mediados de 2013.

Pero el informe oficial confirma que las obras en general están atrasadas y subraya que las reformas de los aeropuertos de Belo Horizonte, Fortaleza, Manaos, Recife y Salvador no han comenzado.

Además de los aeropuertos, otra preocupación del Gobierno es el retraso en las obras del sistema de transporte en el país, ya que apenas cinco ciudades han iniciado los proyectos para mejorar la movilidad urbana.

1 de setembro de 2011

Operários que fazem reforma do Maracanã voltam a entrar em greve

Os operários que trabalham na reforma do Estádio do Maracanã retornaram à greve nesta quinta-feira, 1, alegando que o Consórcio Rio 2014, que reúne as empresas responsáveis pela obra, não cumpriu o acordo estabelecido em assembleia realizada no mês passado.

Ficou acertado que os 1.500 trabalhadores receberiam um vale-refeição no valor de R$ 160, e teriam direito a plano de saúde individual, benefício que, em 90 dias, poderia ser estendido para a família, além de mais segurança no trabalho.

“O problema é que todas as cláusulas que foram aprovadas e discutidas em assembleia não foram cumpridas pelas empresas. O pagamento do mês de setembro saiu, e os trabalhadores ficaram insatisfeitos, revoltados com o valor, pois o que foi acordado não veio no contracheque”, disse o presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Pesada Intermunicipal do Rio de Janeiro (Sitraicp), Nilson Duarte Costa.

Segundo ele, ainda que existem outros problemas que precisam ser analisados urgentemente pelas empresas responsáveis pela obra. “Agora tem outros problemas como a falta de médicos à noite, a alimentação veio estragada, juntou tudo isso e acabou causando a paralisação. É bom que as empresas cumpram o que foi determinado, e, se alguma coisa estiver fora disso, a obra vai ficar parada. Estamos aqui para conversar, pois o diálogo é a melhor opção.”

Para o operário Sérgio Basílio da Silva, que trabalha há quatro meses na reforma, as empresas tratam os funcionários com descaso.“Eu me sinto humilhado, porque passo a maior parte do meu dia na obra trabalhando do que na minha própria minha casa” afirmou.

Consórcio Rio 2014
Em nota, a assessoria de imprensa do Consórcio Rio 2014 informou que o movimento ocorre dez dias depois de um acordo feito com representantes dos trabalhadores em torno de pauta de reivindicações.

Dessa forma, o consórcio entende que não há motivo para a atual paralisação e informa que irá recorrer imediatamente à Justiça do Trabalho, para que o movimento seja declarado abusivo e os operários voltem a trabalhar.

O consórcio acrescenta que, somente dessa forma, retomará as negociações com os representantes dos trabalhadores.

Agência Brasil

27 de agosto de 2011

10 de agosto de 2011

Paixão pelo Ferrão chegará brevemente às telas de cinema

O que é um torcedor senão um coração cheio de lealdade e amor, que bate acelerado, desesperado e esperançoso? Na alegria e na tristeza na vitória e na derrota, "I Love You Ferrão". Este é o mote para o curta sobre a torcida do Ferroviário Atlético Clube que em breve chegará às telas de cinema mostrando todo o sentimento que envolve torcer por um time do futebol cearense completamente diferenciado em termos de carisma e admiração por parte de uma legião de desportistas.

"Trata-se de um documentário sobre torcedores, resistência, lealdade e amor incondicional pelo Ferroviário", garante Denise Pereira, diretora do curta. O filme já começou a ser filmado e a expectativa é de que a partir de 2012 participe dos principais festivais de cinema do Brasil e do exterior. Imagens de arquivo têm sido cedidas por torcedores do Ferrão, além de entrevistas e depoimentos já registrados pela equipe de produção, dentre eles o de Valdemar Caracas, fundador do clube, prestes a completar 104 anos de vida. A equipe de filmagem vai aproveitar a Copa Unimed para produzir novas imagens de torcedores acompanhando o time coral nos gramados cearenses.

Leia a notícia completa no Site Oficial do Ferroviário A.C.

1 de agosto de 2011

Comemoração dos 6 anos de Resistência Coral

Para comemorar os 6 anos de existência da Ultras Resistência Coral (fundada em 31.07.2005), organizamos um racha entre o time da URC vs. time do RASH/SkinsCE.

Plantel da Resistência


Mesmo jogando com "um goleiro a menos", a equipe da Resistência Coral mostrou ter também maior resistência física e com uma virada espetacular no finalzinho do jogo, venceu o confronto por 12 a 11, em um jogo certamente mais emocionante que a última partida entre Santos x Flamengo.

Após o jogo, como não poderia deixar de ser, os atletas foram ao bar realizar a reidratação hidroeletrolítica com uma cervejinha gelada ao som de um bom ska/reggae. Confira no vídeo abaixo como foi o fim de festa.



Por fim, esperamos completar as comemorações do aniversário da URC com a estréia do nosso glorioso Ferroviário na Copa Fares Lopes.

E que venham mais muitos e muitos anos de Resistência.

30 de julho de 2011

Italianos pedem que seleção boicote Copa de 2014

Os italianos continuam protestando contra a libertação, pelo governo brasileiro, do guerrilheiro Cesare Battisti, no inicio de junho. No começo da semana, algumas ruas da Itália apareceram cheias de cartazes pedindo que a seleção do país boicote a Copa de 2014, que será realizada no Brasil e estaria "manchada de sangue italiano”.
Cesare Battisti foi condenado à prisão perpétua na Itália, acusado de quatro assassinatos no final de 1970, quando fazia parte do grupo clandestino Proletários Armados pelo Comunismo (PAC). Ele vive há décadas longe do país natal. Detido no Brasil, teve sua extradição requisitada pela Justiça italiana. Antes de deixar a presidência, Luiz Inácio Lula da Silva, se negou a extraditar Battisti. O assassino foi libertado em junho e, por enquanto, fixou residência no Brasil.

Em diversas ocasiões os italianos têm protestado contra a decisão brasileira. O escritor Antonio Tabucchi, de 67 anos, cancelou sua participação na Flip, festival brasileiro de literatura, em protesto contra a libertação de Batistti. No começo deste mês, o governo italiano ameaçou boicotar os Jogos Militares, encerrados no Rio de Janeiro na semana passada, mas, no final, liberou os mais de 150 atletas para a competição.

Fonte: (Não) Veja.

"Devemos entender que o que está por trás do caso Battisti, na verdade, é a defesa da revolução socialista. Há que se combater a burguesia reacionária, que defende com unhas e dentes sua extradição, prisão perpétua ou mesmo a morte. Porém, também devemos combater aqueles que denunciam simplesmente o caráter "arbitrário" do processo judicial e a "perseguição política" do estado italiano, ao mesmo tempo em que também não medem palavras pra denunciar a "luta armada" e o "terrorismo?. Estes são os mesmos que não perdem tempo pra defender as instituições burguesas e pra legitimar a repressão contra os revolucionários socialistas.

Em ambos os casos, há o interesse em reforçar a "falência" e a "derrota" da revolução socialista, assim como de uma suposta incapacidade política do proletariado de destruir o Estado burguês e o capitalismo. Com isso, a direita reacionária pretende conseguir uma revanche e enterrar de vez o fantasma do socialismo. Os reformistas, fazendo coro, buscam enterrar a via revolucionária e garantir que o movimento dos trabalhadores seja simplesmente uma base de apoio da sua política burguesa."

Liberdade para todos os que lutaram e lutam contra o capitalismo!

Sou Fifa!

27 de julho de 2011

Copa 2014


Chargista: Luke

Copa para quem? Ato dia 30 de julho.

PARTICIPE DO ATO DIA 30 DE JULHO - EM FRENTE AO METRÔ ITAQUERA - 10 HORAS DA MANHÃ.

Copa para quem? Quer pra você? Então diz como!

Carta Aberta à Sociedade, do Comitê Popular da Copa/SP, sobre o processo de organização da Copa do Mundo, a ser realizada no Brasil em 2014.

O futebol deixou de ser uma saudável prática esportiva. No lugar do espírito esportivo, foram impostos à organização desse esporte uma série de interesses econômicos e políticos. Futebol virou mercadoria e sua finalidade o lucro. A entidade máxima do futebol mundial, a FIFA, tem como seu objetivo verdadeiro aumentar seu já milionário patrimônio.

Uma série de escândalos tornou pública a forma corrupta como essa entidade age. É nesse contexto que o Brasil vai sediar a Copa de 2014. Com superpoderes, a FIFA impôs uma série de requisitos para ser cumprido. Essas exigências fazem parte da rentabilidade que a entidade e suas empresas parceiras terão com a realização do evento. Na prática, não deixarão nenhum legado social positivo. Pelo contrário, fatos históricos (África do Sul, entre outros) apontam para outra direção.

Nós, cidadãos e cidadãs, que trabalhamos e pagamos impostos, perguntamos: é justo uma entidade corrupta ditar o quê o país deve fazer? Deve o Estado brasileiro se submeter aos seus ditames? Vale gastar tantos recursos públicos em um evento que dura apenas um mês?

Fica cada vez mais evidente que quem ganhará com a realização da Copa é o setor imobiliário; as incorporadoras e as empreiteiras lucrarão com as obras e serviços a serem realizados e com a especulação imobiliária. Através de seu poder econômico e político, esses setores pressionam o Estado para usufruir enormes somas de dinheiro público em benefício próprio.

Observamos a repetição de histórias trágicas: superfaturamentos; falta de transparência; agressões aos direitos humanos; repressão aos pobres; despejos forçados e desrespeito com a população em geral.

Leia a materia completa

A Copa acelera dois processos já em curso: a repressão aos pobres e aos movimentos populares e a supervalorização fundiária. Isso em todas as cidades-sede da Copa. A Copa não pode servir de pretexto para o aumento de políticas repressivas e contribuir para o agravamento de problemas como o da moradia. Temos problemas sérios como o assassinato de jovens da periferia, principalmente de jovens negros e negras, a violência generalizada contra as mulheres, os/as trabalhadores/as formais e informais e os movimentos sociais. Cabe lembrar que, durante a Copa realizada na África do Sul, houve um grande aumento do tráfico de mulheres, crianças e adolescentes para a exploração sexual.

A Copa servirá para potencializar ainda mais estas formas de violência? Não podemos deixar que isso ocorra. Desde já denunciamos o turismo sexual em nosso país por causa da Copa.

Não concordamos que, sob o pretexto da realização da Copa, uma série de favorecimentos ocorra por parte do Estado brasileiro, como as licitações obscuras e a privatização dos aeroportos.

Também não queremos que a Copa seja a reprodução do Pan 2007, no Rio de Janeiro. O dinheiro utilizado para a realização daquele evento foi tirado da saúde, da educação, da moradia. Resultado: a falta de recursos provocou o caos nos hospitais, a epidemia de dengue e o desmoronamento de encostas.

No caso da cidade de São Paulo, é mentiroso o argumento de que o Estádio em Itaquera trará benefícios para toda a zona leste. O desenvolvimento da zona leste é obrigação do Estado, uma dívida histórica que este tem em prover saúde, educação, moradia, políticas para a infância e a juventude, desenvolvimento urbano e transporte de qualidade. Essas responsabilidades não devem estar atreladas à Copa, dado os interesses privados que esse evento comporta.

O Estádio é importante, mas é mais do que perverso se apropriar da paixão da torcida para justificar uma obra que só trará lucros a alguns setores; que o empenho para a construção do Estádio seja maior que o empenho para a construção da Universidade Federal da Zona Leste; que seja motivo para construir mais avenidas na região, com o transporte público, inclusive o metrô, já completamente saturado.

Ademais, repudiamos a valorização imobiliária da região e a remoção de comunidades inteiras. A população local deve ter seus direitos respeitados.

O Comitê Popular da Copa/SP é formado por entidades e organizações populares. Como trabalhadores/as organizados/as, temos um projeto de sociedade e de cidade diferente do que está sendo imposto. Não admitimos desrespeito às leis, acordos obscuros e violação aos direitos humanos. Contamos com o apoio de todas as entidades, órgãos da imprensa e setores da população preocupados com os rumos que a organização da Copa está tomando.

Pelo fim dos despejos e das remoções!

Por moradia digna para toda a população!

Por políticas públicas para a população de rua!

Por políticas públicas para a juventude!

Pelo fim de todas as formas de violência e exploração das mulheres!

Pelo fim da violência policial e do genocídio da população negra e pobre!

Por trabalho decente e salário justo!

Pelo fim da perseguição aos trabalhadores informais!

Por educação pública, universal e de qualidade!

Pela universidade pública (UNIFESP - Jacu Pêssego) com cotas sociais e raciais!

Por transporte público, barato e de qualidade para toda a população!

Por saúde pública de qualidade pra toda a população!

Que todos possam usufruir o direito à cidade!

Por uma Copa com verdadeiro legado social!

Pela transparência e acesso à informação!

Pelo fim da elitização do futebol!

Comitê Popular da Copa SP /Julho de 2011

Twitter: @CopaPopularSP

21 de julho de 2011

Copa 2014: Eu não vou!

Desde que a FIFA deu o anunciou de que o Brasil sediará a Copa 2014, já iniciava ali uma correria para preparar/maquiar o pais para esta grande “festa popular”. Afinal de contas o pais do futebol voltara a sediar os jogos da copa do mundo, receberá as principais seleções do mundo, e com elas todos os amantes do bom e velho futebol.

Em troca o povo brasileiro é quem pagará todo o ônus desta festa. A baixo alguns exemplos que ilustram o que estou falando:


VLT: MPF pede suspensão do processo de desapropriações

Faz parte da lista de irregularidades feita pelo procurador a denúncia de que já estavam sendo apresentadas aos moradores impactados com as obras do VLT planilhas que continham os valores de cada imóvel atingido pelo trecho Parangaba-Mucuripe. Segundo o procurador, esta ação só deveria acontecer depois de toda a obra receber a liberação dos órgãos responsáveis, no caso, a Superintendência Estadual de Meio Ambiente do Ceará (Semace).

Como agravante, segundo contou Sales, algumas pessoas da região já teriam sido chamadas pelo Governo do Estado do Ceará para negociar o pagamento e a saída de sua propriedade. Ele ainda considerou na ação relatos de moradores que acusam representantes do governo de oferecerem - a partir da planilha e da negociação - preços considerados irrisórios pelos imóveis atingidos, "impossibilitando uma justa indenização, o que consequentemente, impedindo a aquisição de outra moradia digna".

De acordo com Sales, um acompanhamento sistemático do procedimento de desapropriação é feito junto às comunidades afetadas de maneira que novas irregularidades na obra sejam detectadas.

Jogos da Copa do Mundo vão sustar leis de gratuidade e meia-entradaA minuta da Lei Geral da Copa, elaborada pelo Ministério dos Esportes e que agora está em análise na Casa Civil, vai sustar as leis de gratuidade e de meia-entrada vigentes no território nacional para os jogos do campeonato. O argumento é que os preços dos ingressos serão definidos pela Fifa, que terá liberdade de "discutir" eventuais descontos com os estados e cidades-sede. As informações são do Congresso em foco.
Detalhe é que o Ministério dos Esportes é comandado por Orlando Silva, que é, justamente, ex-presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE). Tendo por base os preços cobrados na Copa do ano passado na África do Sul, o povo vai mesmo ficar de fora da festa. Lá, os ingressos variaram de R$ 150 a até R$ 1.500. O valor variou de acordo com a localização do estádio e a importância do jogo.

Fonte: Diário do Nordeste e Jornal Extra.

Essas são apenas algumas das tantas outras falcatruas que serão e estão sendo feitas pelos Cartolas brasileiros junto com o governo federal. A Resistência convoca a todos a debater e lutar contra as ações tomadas pela FIFA/Governo Federal.

31 de maio de 2011

Facebook deletou conta de jogador brasileiro por sua defesa da Palestina

http://inforrock.blogspot.com/2011/05/facebook-deletou-conta-de-jogador.html


GALERA, INACREDITÁVEL!
MATÉRIA QUE LI NO BLOG 
TREZENTOS FALA QUE O O PERFIL DO FACEBOOK DO JOGADOR BRASILEIRO MARCELO VIEIRA FOI DELETADO.
MARCELO, LATERAL ESQUERDO DA SELEÇÃO BRASILEIRA E DO REAL MADRID, APENAS DEMONSTROU SUA SOLIDARIEDADE PARA COM O POVO PALESTINO, E SUA ARDUA LUTA POR UM PEDAÇO DE TERRA.

Two days later, the unexpected happened. Marcelo Vieira’s Official facebook page was shut down. Official Real Madrid website mentioned that the facebook administration received requests from Israelis to shut down the page as it was inciting violence against Israel by supporting the Palestinian Intifada.

POR PURA PRESSÃO DOS 
JUD  SIONISTAS.. 
JORNAL ISRAELENSE: http://www.ynet.co.il/articles/0,7340,L-4069131,00.html(SE JÁ NÃO EDITARAM!)

ESSE TAL DE Mark Zuckerberg ...
AUSÊNCIA TOTAL DE REPERCUSSÃO NO BRASIL!
SÉCULO XXI

10 de maio de 2011

Atleta de futebol hostilizado por acusar governo dos EUA pelo 11 de setembro!

Rashard Mendenhall

Por Anonimo 09/05/2011 às 16:15

Fonte: Centro de Mídia Independente

O jogador de futebol americano Rashard Mendenhall está sendo hostilizado pela grande mídia e perdeu um de seus patrocinadores após dizer a maior heresia da atualidade em solo Norte-Americano, equivalente a acusar o vaticano de ser criminoso e de a terra não ser o centro do sistema solar no século 15 :

"Eu tenho dificuldades em acreditar que um avião poderia ter demolido um arranha-céu".Ou seja, o governo dos EUA foi responsável pelo ataque,colocando a culpa em um ex agente da CIA para iniciar a ocupação agressiva e ilegal do Iraque sob a bandeira da "guerra ao terror".

Eu não sou autoritário de condenar quem não concorda com esta idéia, mas aqueles que aceitam a versão do governo dos EUA sem questionar são de fato mentes fracas ou mercenários. acho incrível como essa idéia é tratada como a mais absurda "teoria de conspiração", lembrando que estamos falando do governo do único país do mundo a detonar uma bomba atômica, o que mais financiou ditaduras e guerras nas últimas décadas,isso sem falar nos Kennedy e vários outros fatos que revelam a face oculta do império.

Segue a matéria da UOL.Gostaria de destacar o papel submisso e vassalo de quem escreveu esta reportagem.Polícia de pensamento em ação! Destaco as seguintes frases:

"Mas para azar do jogador, a Champion, que o patrocinava até o último dia 5 deste mês, é uma forte apoiadora das ações antiterroristas e das forças armadas norte americanas" (coitado do tolo,preferiu ter dignidade a dólares sujos!)

"Todo o dinheiro perdido por causa dos comentários deve ter feito Rashard se arrepender e, em uma nova oportunidade, o atleta vai pensar melhor antes de escrever em seu microblog." (seu insignificante blog com suas desprezíveis opiniões próprias são claro, inferiores aos grandes meios de comunicação imparcais e justos financiados pelas mais honestas corporações!)

"Rashard Mendenhall vai ter que pensar melhor antes de publicar posts em seu twitter" (o que o governo manda pensar é o certo, obedeça!)

Ainda bem que ainda existem pessoas com coragem que pensam por si próprias e não se importam com o julgamento da grande mídia,que não se permitem vender por um milhão de dólares e não se submetem ao governo corrupto ao extremo dos EUA. O jogador também questionou: ?Que tipo de pessoa celebra a morte?" se referindo às comemorações insanas e primitivas,dignas de uma platéia vibrando a morte de um gladiador em um coliseu romano.

Antes que os vassalos venham dar chilique e dizer que estou inocentando Bin laden e sou conivente com terrorismo, já digo: Sou pacifista,não apóio nenhum ataque contra civis. Há uma alta probabilidade de vocês que acreditam cegamente na grande mídia apoiarem terrorismo.

segue a matéria da UOL

http://esporte.uol.com.br/futebol-americano/ultimas-noticias/2011/05/09/jogador-da-nfl-questiona-acoes-do-governo-norte-americano-e-perde-patrocinador.jhtm

Aqui um vídeo sobre o ocorrido: http://www.youtube.com/watch?v=gtaf00ByAi0

A verdade sobre o 11 de setembro está vindo à tona,é incrível a enorme quantidade de comentários e vídeos no youtube atestando este fato! Até nos comentários da UOL muita gente demonstra perceber os limites da liberdade de expressão e pensamento nos EUA, a falta de veracidade da história e dos vídeos sobre a morte do Bin Laden e o histórico de invasões/agressões/histórias mal contadas do império Norte Americano...

9 de abril de 2011

Um ofício. Uma carta. Uma resposta. A mudança de uma história.

Há exatos 87 anos, uma carta mudou os rumos do futebol brasileiro. Em 07 de abril de 1924, os pobres, mulatos, negros e nordestinos  do Vasco, liderados por José Augusto Prestes, davam à sociedade brasileira um tremendo pontapé no preconceito, ou seja, uma demonstração de como deveria ser o Brasil, forte e com igualdade para todos.

Uma carta que, mais que uma carta, é um verdadeiro libelo contra a discriminação social e racial. Pelo que representou para o esporte nacional, pelo que representa até hoje para os vascaínos,para nós da URC, para todas as vítimas de todo e qualquer tipo de preconceito,  e pela nobreza do seu conteúdo, a nossa reverência.

Confira a carta:

Rio de Janeiro, 7 de Abril de 1924.
Ofício nr. 261
Exmo. Sr. Dr. Arnaldo Guinle
M.D. Presidente da Associação Metropolitana de Esportes Atléticos

As resoluções divulgadas hoje pela imprensa, tomadas em reunião de ontem pelos altos poderes da Associação a que V.Exa tão dignamente preside, colocam o Club de Regatas Vasco da Gama numa tal situação de inferioridade, que absolutamente não pode ser justificada nem pela deficiência do nosso campo, nem pela simplicidade da nossa sede, nem pela condição modesta de grande número dos nossos associados.

Os privilégios concedidos aos cinco clubes fundadores da AMEA e a forma por que será exercido o direito de discussão e voto, e feitas as futuras classificações, obrigam-nos a lavrar o nosso protesto contra as citadas resoluções.

Quanto à condição de eliminarmos doze (12) dos nossos jogadores das nossas equipes, resolve por unanimidade a diretoria do Club de Regatas Vasco da Gama não a dever aceitar, por não se conformar com o processo por que foi feita a investigação das posições sociais desses nossos consócios, investigações levadas a um tribunal onde não tiveram nem representação nem defesa.

Estamos certos que V.Exa. será o primeiro a reconhecer que seria um ato pouco digno da nossa parte sacrificar ao desejo de filiar-se à AMEA alguns dos que lutaram para que tivéssemos entre outras vitórias a do campeonato de futebol da cidade do Rio de Janeiro de 1923.

São esses doze jogadores jovens, quase todos brasileiros, no começo de sua carreira e o ato público que os pode macular nunca será praticado com a solidariedade dos que dirigem a casa que os acolheu, nem sob o pavilhão que eles, com tanta galhardia, cobriram de glórias.

Nestes termos, sentimos ter que comunicar a V.Exa. que desistimos de fazer parte da AMEA.

Queira V.Exa. aceitar os protestos de consideração e estima de quem tem a honra de se subscrever, de V.Exa. At. Vnr.

Obrigado

(a) Dr. José Augusto Prestes
Presidente

6 de abril de 2011

Nota de pesar pelo falecimento do Dr. Alexandre Carneiro

Faleceu na tarde de ontem o Dr. Alexandre Vasconcelos Carneiro, médico, desportista, socialista e apaixonado torcedor coral, pai de Leonardo Carneiro, atuante componente da torcida Ultras Resistência Coral e participante cativo da antiga Rádio Ferrão.

Dr. Alexandre Carneiro, assim como seu filho, foi um dos principais atletas de Tênis de Mesa do estado, defendendo sempre as cores do Ferroviário e conquistando vários títulos.

A direção do clube coral, os que fazem o Portal Oficial e todos que fazem parte da torcida Resistência Coral manifestam as mais sinceras condolências à família enlutada.

14 de fevereiro de 2011

O futebol egípcio após a saída de Mubarak


"Eu apoio 100% o poder do povo e suas reivindicações legítimas." 
Hosni Abd Rabo, meio-campista do Al-Ahli


O clube Al Ahly do Cairo acaba de abrir um fundo para ajudar as vítimas da revolta de 25 de Janeiro. "Nosso clube não vai se limitar a um apoio financeiro, também vamos estimular a participação na doação de sangue para os feridos", revelou o meia Shehab Ahmed.

Para Sporting África

O ex-presidente Hosni Mubarak, no poder desde 1981, finalmente, decidiu demitir-se após a revolta de seu povo. Agora, tendo em conta esta realidade, o país inteiro deve ser reorganizado, incluindo o futebol. O campeonato poderá ser cancelado, até a poeira abaixar. Por seu turno, os jogadores mostram solidariedade para com seu povo. A Premier League, o campeonato já foi suspenso, mas rumores apontam para uma anulação completa da temporada 2010-2011, ou até a metade do ano.

A segunda parte da temporada foi adiada indefinidamente por razões de segurança. "Aqueles que querem os jogos disputados à porta fechada, tem um pensamento inadequado", disse Amer Hussein, diretor do Comitê Executivo da EFA.

O organismo que rege o futebol internacional (FIFA), criou duas principais condições para a retomada do egípcio Premiere League. "Os estados da FIFA como a principal condição que deve ser suficiente segurança para jogadores e fãs, antes de decidir retomar os jogos", disse Samir Zaher, Associação de Futebol do Egito (EFA).

"Isso também exige que todos os clubes devem apresentar a sua aprovação para prosseguir com a competição", disse Zaher. Quem também negou todos os rumores sobre o cancelamento do campeonato desta temporada. "O cancelamento do campeonato egípcio que nos vai custar muito. Os clubes podem ter de enfrentar desastres, porque eles gastaram muito dinheiro no acampamento de treinamento, os contratos de patrocínio e transferência de jogadores", disse ele.

Zaher acredita que a retomada do campeonato egípcio poderia ajudar a fazer as coisas de volta ao normal no país. "Teremos uma reunião com funcionários de diferentes clubes para chegar a um acordo sobre a retomada da competição e organização partidária, local, dias, horas e os árbitros", disse ele.

Jogadores de Solidariedade

Por seu turno, os jogadores não são indiferentes ao que acontece em seu país. "Eu apoio 100% o poder do povo e suas reivindicações legítimas. Muitos compatriotas vivem em condições muito difíceis", disse o meia Hosni Abd Rabo. "Algumas pessoas pensam que os jogadores de futebol não estão conscientes da realidade da vida nas ruas, mas a verdade é que muitos de nós vêm de famílias pobres e, portanto, compreendemo o sofrimento do povo. Os jovens podem estudar mas não conseguem encontrar trabalho. "Estou disposto a fazer qualquer coisa para apoiar a revolta ", acrescentou.

Enquanto um dos clubes mais prestigiados do país, Al Ahly do Cairo, acaba de abrir um fundo para ajudar as vítimas da revolta de 25 de Janeiro. "Nosso clube não vai se limitar a um apoio financeiro, também vamos estimular a participação na doação de sangue para os feridos", revelou o meia Shehab Ahmed. "Quem disse que futebol não tinha consciência social?" 

Originalmente publicado em 11 de fevereiro, 2011 em http://sportingafrica.blogspot.com/


Tradução de Google Tradutor com revisão

18 de janeiro de 2011

Eduardo Galeano - Futebol ao Sol e à sombra


“Foi um processo irreversível. Como o tango, o futebol cresceu a partir dos subúrbios. Era um esporte que não exigia dinheiro e que podia ser jogado sem nada além da pura vontade. Nos baldios, nos becos e nas praias, os rapazes nativos e os jovens imigrantes improvisavam partidas com bolas feitas de meias velhas, recheadas de trapos ou de papel, e um par de pedras para simular o arco. Graças à linguagem do futebol, que começava a tornar-se universal, os trabalhadores expulsos do campo se entendiam muito bem com os trabalhadores expulsos da Europa. O esperanto da bola unia os nativos pobres com os peões que tinham atravessado o mar vindos de Vigo, de Lisboa, Nápoles, Beirute ou da Bessarábia, e que sonhavam fazer a América levantando paredes, carregando caixotes assando pão ou varrendo ruas. Linda viagem a que havia feito o futebol: tinha sido organizado nos colégios e universidades inglesas, e na América do Sul alegrava a vida de gente que nunca tinha pisado numa escola.”

Trecho de Futebol ao Sol e à Sombra, de Eduardo Galeano.

O futebol nas repúblicas socialistas soviéticas

Farenc Puskas
Uma das grandes frustrações dos torcedores brasileiros é o fato de que apesar de todas as conquistas do nosso futebol, nenhuma seleção brasileira conseguiu, até o momento, conquistar uma medalha de ouro em Jogos Olímpicos. Durante muito tempo, as Olimpíadas permitiam apenas a participação de atletas amadores.

Assim, os jogadores de futebol brasileiros que participavam dos Jogos eram em sua maioria muito inexperientes. O Brasil não podia enviar os seus melhores jogadores profissionais. Por outro lado, na época da Guerra Fria, a União Soviética e os seus países-satélites no Leste europeu viam nas Olimpíadas uma oportunidade para fazer propaganda do regime socialista.

Amadorismo profissional
Oficialmente, os atletas desses paises eram amadores, pois jogavam em times de unidades militares ou de operários de fábricas. Um exemplo era a seleção húngara de futebol, que conquistou a medalha de ouro em 1952, nos jogos realizados em Helsinque, na Finlândia. Teoricamente, seus jogadores eram membros do exército húngaro, que, em suas horas de vagas, jogavam futebol.

Na prática, eram atletas profissionais, cujo prestígio no esporte permitia que usufruíssem privilégios negados para a maioria de seus compatriotas: podiam passar direto pela alfândega e contrabandear objetos que eram considerados artigos de luxo nos países socialistas, como, por exemplo, relógios de pulso fabricados no Ocidente.

Ferenc Puskas: um craque húngaro
Entre os craques da seleção húngara de 1952, estava o atacante Ferenc Puskas, o "Major Puskas", considerado um dos maiores nomes do futebol de todos os tempos, ao lado de Pelé, Maradona, do holandês Cruyff e do alemão Beckenbauer. Na Copa de 1954, realizada na Suíça, a seleção húngara era a favorita, mas acabou perdendo a final para a Alemanha. Os alemães marcaram três gols e os húngaros marcaram dois, dos quais, um foi anulado.

Em 1957, após uma excursão ao Brasil, vários jogadores húngaros aproveitaram uma estada na Áustria para "desertar" e jamais voltar para a Hungria. Esses jogadores pretendiam tentar a sorte nos clubes dos países capitalistas da Europa ocidental, onde ganhariam mais dinheiro e teriam mais liberdade. Foi assim que Puskas acabou entrando para o time do Real Madrid.

O esquema 4-2-4
Os húngaros foram os inventores do esquema tático que, no Brasil, recebeu o nome de 4-2-4. Aqueles que insistiam em misturar qualidade técnica no esporte logo rotularam o futebol jogado pelos húngaros de "futebol socialista".

Depois de 1956, o esquema foi trazido ao Brasil pelo técnico húngaro Bela Guttmann, que trabalhou no São Paulo Futebol Clube. O segundo clube brasileiro a usar esse esquema foi o Santos. Inventado pelos húngaros, esse esquema tático foi aperfeiçoado pelos brasileiros. Foi usando esse esquema que o Brasil conquistou as Copas de 1958, na Suécia, e de 1970, no México.

Alemanha versus Alemanha

Em 1974, a Copa do Mundo foi disputada na Alemanha Ocidental. Naquela época, ainda existia o Muro de Berlim, que dividia a Alemanha em duas: a Alemanha Ocidental, capitalista, e a Alemanha Oriental, socialista. Aquela Copa foi marcada por um jogo inusitado entre as duas Alemanhas.

Foi a única vez em que as duas seleções se enfrentaram em uma Copa do Mundo. O time da Alemanha Ocidental foi calculista e preferiu perder para a Alemanha Oriental por 1 x 0, para não cair no grupo de Brasil e Holanda, que era a grande favorita, na segunda fase da Copa. O Brasil foi goleado pela Holanda por 2 x 0 e perdeu a disputa pelo terceiro lugar para a Polônia por 1x0. A Alemanha Ocidental venceu a Holanda na final por 2x1 e ganhou o campeonato.

Túlio Vilela*, formado em história pela USP, é professor da rede pública do Estado de São Paulo e um dos autores de "Como Usar as Histórias em Quadrinhos na Sala de Aula" (Editora Contexto).

14 de janeiro de 2011

Divulgados preços dos ingressos do clássico entre Fortaleza e Ferroviário

A Federação Cearense de Futebol divulgou, nesta sexta-feira (14), o preço dos bilhetes que darão entrada ao clássico do próximo domingo entre Fortaleza e Ferroviário.

O torcedor que quiser comparecer ao Castelão irá pagar R$ 15,0 pela entrada mais barata e R$ 40,0 na mais cara.

Para o duelo, válido pela segunda rodada da competição, apenas 15 mil ingressos serão colocados à venda.

Preços e locais no estádio

Superior Inteira - R$ 30,00
Superior Meia - R$ 15,00
Inferior Inteira - R$ 40,00
Inferior Meia - R$ 20,00

Postos de venda

Messejana – R. Pergentino Maia, 379
Dias Macedo – R. Pedro Dantas, 201 lj. 1
Parquelândia – R. Prof. Anacleto, 544
Antonio Bezerra – R. Capitão Brasil, 150
Otávio Bonfim - Av. Bezerra de Menezes, 384
Aldeota - Av. Dom Luis, 10 (Loja oficial do Fortaleza)
Estádio Alcides Santos (PICI) - Av. Senador Fernandes Távora, 200

13 de janeiro de 2011

Começou!

Ferroviário leva gol nos acréscimos e apenas empata na estreia do Estadual

O Ferroviário foi ao Crato e esteve muito próximo de vencer o time da casa. A equipe coral vencia por 1 a 0 até os acréscimos da etapa final, quando o Crato chegou ao empate, cobrando pênalti. O gol coral foi marcado por Rogério, aos 25 minutos do segundo tempo. Djalma empatou para o Azulão.

As duas equipes demonstraram bastante equilíbrio durante a primeira meia hora de jogo. Crato e Ferrão esbarravam na falta de entrosamento na primeira etapa, errando muitos passes e facilitando a marcação adversária. As principais jogadas de ataque do time da casa nasciam dos pés do camisa 10, Djalma. Já o Tubarão da Barra chegava principalmente em bolas paradas, pois o Crato fazia muitas faltas nas proximidades da área. Nos minutos finais, o Azulão pressionou, criando pelo menos três boas chances de abrir o marcador.

O Ferroviário cresceu em campo na etapa complementar, marcando aos 25 minutos. Brasinha lançou Rogério, que apenas tocou na saída do goleiro Hebert. Já aos 46 minutos, o zagueiro Bruno tentou tirar a bola de Assis, que foi ao chão e o árbitro marcou pênalti duvidoso. Djalma foi para a cobrança e marcou: 1 a 1. A torcida coral ficou reclamando do lance.

Vavá e Arlindo

Presidente Luiz Gonzaga Neto confirmou a vinda do lateral-direito Arlindo Maracanã e do atacante Vavá, que chegam hoje para exames médicos. A dupla chega à Barra por empréstimo até o fim do Campeonato Cearense, inclusive podendo enfrentar o Ceará Sporting Club.

Fonte: Diário do Nordeste.

3 de janeiro de 2011

O futebol é um meio de conscientização das contradições da sociedade


Entrevista Marcos Alvito
"O futebol é um meio de conscientização das contradições da sociedade"
Por Débora Prado
Antropólogo e professor da Universidade Federal Fluminense, Marcos Alvito foi um dos idealizadores da Associação Nacional dos Torcedores (ANT), que luta pela defesa do futebol brasileiro como arte, cultura e um patrimônio popular. A associação teve sua primeira chapa para diretoria eleita no dia 12 de dezembro, cerca de dois meses após a fundação, e deve votar seu estatuto no começo do ano que vem. Já com mais de 2,5 mil associados, entre os objetivos da ANT estão a luta contra a retirada de comunidades de trabalhadores em nome da Copa do Mundo e das Olimpíadas e a exclusão do povo brasileiro dos estádios de futebol. Em entrevista a Caros Amigos, Alvito fala sobre a associação e o potencial pedagógico e transformador que o futebol pode ter se não expropriado somente para fins mercadológicos. Confira:
Caros Amigos - O que é ANT, por que ela foi fundada e o que ela busca?
A ANT é uma entidade autônoma, supra-clubistica, apartidária, porém política – entendida num sentido amplo de uma luta pela cidadania torcedora. Ela é formada por torcedores individualmente, ela não tem nenhuma ligação com as torcidas organizadas, embora a gente considere as organizadas como parte da cultura do futebol e sejamos contra a criminalização destas torcidas. Mas, a ANT é formada por indivíduos que se associam livremente. Ela tem como objetivo principal lutar pela defesa do futebol brasileiro como arte e cultura popular e também como um patrimônio que está sendo expropriado num processo perverso, que está sendo travestido de uma modernização e que na verdade não é modernização, pois se mantém intactas as estruturas arcaicas do futebol brasileiro, permitindo uma livre exploração do futebol por parte do capital.
Esse futebol não é moderno. Você tem uma estrutura feudal do ponto de vista das decisões, com clubes que são aristocráticos, com dirigentes que se perpetuam no poder, com todo tipo de manobras palacianas, intrigas de corte, etc. Estamos em plena Idade Média por um lado e por outro há o capitalismo selvagem, em que se aumenta o ingresso na hora que quiser e bem acima da inflação. Há um aumento abusivo de preço, mas cadê a defesa do consumidor, o ministério público, a defensoria pública? Não tem, porque você não tem ninguém que represente os torcedores. Por isso a gente tem que ter uma associação para representar os interesses dos torcedores. Só que a nossa associação não vê o futebol desligado do movimento social, a gente vê o futebol como cultura popular e um meio de conscientização das contradições que atravessam a sociedade.
Caros Amigos - Como está o calendário da ANT?
A gente vai ter um congresso da ANT em janeiro ou fevereiro para votar o nosso estatuto, para fazermos a primeira grande convenção nacional. E assim que começar o Campeonato Brasileiro, na primeira rodada, a gente vai fazer o “Dia do Pinico”. Como a gente não é bárbaro e achamos que a árvore é um ser vivo, nós vamos levar pinicos para os jogos da primeira rodada do Brasileiro, já que não tem banheiro químico.
A gente quer se organizar durante as férias e depois de votado nosso estatuto a vamos entrar com ações legais. Por exemplo, o futebol se dá nas quatro linhas. O Engenhão tem ainda, desde que foi inaugurado, placas de publicidade que cobrem a linha de fundo toda e isto inclui a linha do gol. Então, você paga 30 reais para sentar atrás da linha do gol e não vê a bola entrar. Se no Engenhão eu só vejo três linhas, ou você muda aquelas placas de lugar ou você interdita o estádio, pelo menos as alas sul e norte, porque o ingresso está sendo vendido para ver um jogo de futebol e se eu não vejo a bola entrar no gol, eu não vejo o grande momento do jogo. Então, ou tira a placa do lugar ou interdita o Engenhão. Vamos pedir a defensoria pública que eles façam alguma coisa contra o aumento abusivo do preço dos ingressos, porque os clubes botam o ingresso no preço que quiserem.
Agora, aquilo que eu pessoalmente vejo como a coisa mais importante que a ANT pode fazer é uma movimentação junto ao Congresso Nacional para votar uma lei que regulamente as escolinhas de futebol. Se você entrar num restaurante, você não vê um garçom com sete anos de idade, mas aos 7, 8,9 e 10 anos há meninos sendo explorados pelos clubes para serem depois vendidos como se fossem mercadorias. Eu acho que isso é a face mais horrenda e perversa do futebol, que é se valer do sonho de milhões de meninos - que é um sonho ao mesmo tempo de fama, de glória, de realização, e também de ascensão social - para descartar num funil gigantesco. É como o Darcy Ribeiro chamava o Brasil de um moinho que mói gente, o futebol, as categorias de base dos grandes clubes, são um moinho de crianças, são uma fábrica de destruição de sonhos. Essas crianças são exploradas, depois elas são totalmente descartadas sem nenhum apoio de serviço social, sem que haja nenhum apoio educacional. É uma máquina absolutamente perversa.
O mínimo que esses clubes tem obrigação de fazer é, se eles querem treinar essas crianças, ter um limite para esse treinamento e tem que ter um processo de profissionalização. Os clubes tem que ter escolas próprias profissionalizando esses garotos. Se um garoto vai treinar no São Paulo, por exemplo, aos sete anos, então o São Paulo vai ter que assinar um compromisso que vai ter uma escola onde haja ensino de língua, de computação, um ensino de primeira qualidade e profissionalizante e ele vai ter que ficar com esse garoto até ele concluir o segundo grau.  A gente que ama o futebol tem a obrigação ética de amar um futebol que no mínimo dê um retorno educacional a esses garotos.
Meu outro sonho é fazer o que existe na Inglaterra, onde o Ministério da Cultura banca um reforço escolar para garotos e garotas de comunidades usando as instalações dos clubes. O Corinthians, vamos dizer, vai montar 10 escolas dessas em toda a periferia, mas monta também uma sala multimídia, de maneira que as crianças das escolas municipais do entorno possam passar algumas semanas ali. Pode ter a revista do Corinthians e isso ser usado para ensinar português, gramática, redação. Isto representa afirmar o vínculo do clube com a comunidade e é usar o futebol como uma arma da educação. Eu, como professor, tenho um sonho de usar o futebol, de fazer uma pedagogia do futebol. Ele tem penetração em todas as classes, é uma língua geral, e isso poderia ser usado de um trilhão de maneiras e hoje ele só é utilizado pelo mercado, só é usado de uma forma feitichizada. Ele poderia ser usado para combater a homofobia, o sexismo, podemos fazer várias parcerias com os movimentos sociais. Aliás, eu quero aproveitar este espaço para prestar uma homenagem ao MC Leonardo, porque foi numa conversa com ele e inspirado na luta da ApaFunk (Associação dos profissionais e amigos do funk), que é a madrinha da ANT, que a gente teve a ideia de fazer a associação. A gente está inspirado por eles.
>> Conheça os sete objetivos da ANT, uma organização sem fins lucrativos para lutar contra:
1.     A exclusão do povo brasileiro dos estádios de futebol, fruto de uma política deliberada de diminuição da capacidade dos estádios, extinção de setores populares dos estádios e aumento abusivo dos ingressos
2.     O desrespeito à cultura torcedora com a extinção de áreas populares como a geral, onde há uma tradição própria de participação no espetáculo que inclui assistir ao jogo de pé (o que acontece na Alemanha)
3.     A falta de transparência no futebol brasileiro, há décadas nas mãos de dirigentes incompetentes e corruptos; exigimos a democratização das decisões acerca do futebol brasileiro com a participação dos torcedores; por exemplo: as sucessivas e milionárias reformas do Maracanã, feitas sem nenhuma consulta aos torcedores
4.     A exploração politiqueira do futebol visando eleger candidatos que aproveitam-se da sua popularidade para conseguirem mandatos contra o povo
5.     O controle das tabelas e horários dos campeonatos na mão da rede de televisão que há décadas detém o lucrativo monopólio das transmissões televisivas de jogos de futebol; horário máximo de 20h para o início das partidas durante a semana e 17h aos domingos
6.     A retirada de comunidades de trabalhadores em nome da Copa do Mundo e das Olimpíadas
7.     A falta de meios de transporte dignos durante os dias de jogos; exigimos esquemas especiais em dias de jogos
Fonte: Caros Amigos

* Saiba mais sobre a ANT pelo twitter @ANTorcedores e pelo site

2 de janeiro de 2011

Ante a jornada de 26 de dezembro

O direito de contar com selecçons galegas em igualdade de condiçons com as outras naçons do planeta e polo tanto gozando do pleno reconhecimento internacional é ante todo um direito nacional da Galiza, a nossa naçom.

É por isso que, mais um ano, o partido da selecçom galega de futebol será o pretexto para que a juventude trabalhadora manifeste na rua o apoio que os sectores populares galegos dam a todas às reivindicaçons nacionáis no terreno desportivo, em contraposiçom a antidemocrática legislaçom espanhola. Legislaçom que lateja ao serviço do projecto nacional rojigualdo e responsável directa da regionalizaçom que padecem as nossas equipas.

 A campanha mediática à roda da selecçom espanhola de futebol durante a celebraçom da Taça do Mundo evidenciou a agressividade espanholista e o carácter opressivo e destrutor de todas as suas manifestaçons. Além do mais, esta campanha de chauvinismo reaccionário foi fomentada e aproveitada pola caste política e o mundo empresarial para agravar o degrau de exploraçom do conjunto d@s trabalhadoras/es galeg@s, enquanto amplos sectores destes distraiam as suas preocupaçons quotidianas olhando para Suláfrica.

Mas outro modelo desportivo é possível. Queremos umhas equipas galegas que sejam oficiáis e que nos representem no mundo com a bandeira erqueita da contribuiçom ao desporto de base, antidoto perfeito contra a competitividade depredadora que fomenta o capitalismo. Capaz de insuflar vitalidade e energia a um ócio nom mercantilizado e consumista. Que nom castre a potencialidade física de mulheres e homens sob parámetros seguidistas dos roles de género impostos polo vigorante sistema patriarcal.

De BRIGA aplaudimos a iniciativa de Siareir@s Galeg@s de convertir o evento deste 26 de Dezembro também numha clamorosa reivindicaçom dos valores internacionalistas. O povo palestiniano é torturado, assassinado e negado em todas as suas dimensons na terra onde geraçons trabalhárom devido às políticas colonialistas do estado sionista de Israel, com a cumplicidade inquebrantável da Uniom Europeia e dos EUA. É o nosso dever como jovens revolucionári@s apoiar e difundir a sua luita como se fosse nossa, reconhecendo todos os métodos de luita para garantir o sucesso do seu povo.

Fonte: BRIGA