11 de agosto de 2009

“Foda-se a Copa do Mundo de 2010”: Futebol para as pessoas, não para o mercado

Neste domingo, 2 de agosto, na zona de Newtown, em Johanesburgo, meia dúzia de anarquistas, incluindo membros da Frente Anarquista Comunista Zabalaza, participou de um “torneio” de futebol de “seis de cada lado” inspirado no Reclaim the Streets! (Reclame as Ruas!). Eles foram convidados pelos organizadores para formar um time anarquista.

O torneio de futebol fez parte do Recess: Street Credit, evento cultural e de exibição artística que coincidiu com a reunião anual da “11ª Escola de Inverno do Khanya College”. O evento foi realizado na Rua Henry Nxumalo em Newtown, abaixo da rodovia M1 – somente a poucas centenas de metros de distância da Delegacia Central de Polícia de Johanesburgo – quando ativistas e aficionados futebolistas fecharam a rua com fita plástica e começaram a jogar bola.

De acordo com o chamado para participar no evento, o torneio tinha a “intenção de romper com o fluxo normal do tráfego de veículos motorizados no quarteirão, tomando a rua para finalidades criativas e políticas. Os times foram cuidadosamente selecionados, com uma pequena representação de um extenso corpo social-político de organizações e coletivos”, pretendendo “trazer e juntar uma variedade de ativistas culturais e sociais-políticos, com a intenção de desenvolver trabalhos em rede, engajamento político e diversão”.

Infelizmente nem todos os oito times convidados para participar do acontecimento apareceram, mas o Siyaphambili Youth Project e o time Círculo-A estavam presentes, juntamente com outros dois times.

A atmosfera do torneio era totalmente contra a Copa do Mundo de 2010, que é visto por muitos ativistas como exclusiva aos ricos. O SYP tinha em seu uniforme as letras que compunham a frase “FODA-SE 2010”, que estava pintado nas costas das suas camisetas.

O Círculo-A perdeu de 5 a 3 para um time de jovens boleiros, o quarto e o quinto gol foram marcados nos últimos dois minutos num contra-ataque, quando o time anarquista buscava “desesperadamente” a vitória. O Círculo-A talvez pudesse ter jogado melhor, mas alguns dos craques anarquistas de Soweto que eram aguardados para reforçar o time não puderem comparecer porque não conseguiram levantar a tempo o dinheiro necessário para o transporte.

No final do evento houve um bate-papo para que o torneio se torne o começo de uma liga de futebol “seis de cada lado” do movimento social.

Fonte: ANA - Agencia de Noticias Anarquistas

4 comentários:

Vidiball Oi! disse...

Muito foda!

Oi!

Anônimo disse...

Saudações!

Gostaria de apresentá-los o jornal A Nova Democracia. Um periódico de caráter democrático, popular, nacional e anti-imperialista, que tem como objetivo levar a verdade para as amplas massas oprimidas de nosso povo.

http://www.anovademocracia.com.br/
anovademocracia@uol.com.br

Vidiball Oi! disse...

Pessoal!

Bora atualizar aÊ!

Não para não!

Grande abraço Oi!

Sebastião Matias disse...

Precisamos todos os lutadores sociais se mobilizarem, também, para os protestos contra a copa do mundo, aqui no Brasil, em 2014. Principalmente aqui, em Fortaleza, onde a opulência de um evento "mercadológico" contrastará com as desigualdades da cidade. É luta de Classes clara e gritante!

Cabe a nós, lutadores e torcedores revolucionários a denúncia de uma copa vergonha! A Copa deve ser do Povo!